Prato Cheio do Alvorada recebe palestra sobre empreendedorismo feminino

A palestra explica o passo a passo para o cadastro e possível financiamento, que varia de R$ 500 a R$ 21 mil, de acordo com a análise de crédito da solicitante
Facebook
Twitter
WhatsApp
FOTOS: Kerolyn Leigue/Seas

O Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado da Assistência Social (Seas), realiza, nesta semana, palestras voltadas para o empreendedorismo feminino aos beneficiários do programa Prato Cheio. A ação iniciou nesta segunda-feira (16/01), no restaurante popular do bairro Alvorada, zona oeste de Manaus.

Em parceria com o programa Crédito Rosa, as palestras também serão realizadas nos Pratos Cheios dos bairros Parque São Pedro, na terça-feira (17/01); Rio Piorini, na quarta-feira (18/01); e no Viver Melhor, na quinta-feira (19/01).

Nas orientações, é apresentado aos usuários o Crédito Rosa, programa voltado para mulheres que empreendem e atuam no mercado de trabalho, mas que tiveram suas atividades afetadas pela pandemia. A palestra explica o passo a passo para o cadastro e possível financiamento, que varia de R$ 500 a R$ 21 mil, de acordo com a análise de crédito da solicitante.

De acordo com a assistente social Érica Costa, responsável pela ação, a parceria visa alcançar o público feminino do Prato Cheio como forma de incentivo ao mercado de trabalho.

“É uma parceria com o Crédito Rosa, porque vamos trabalhar essa temática especificamente para as mulheres, que é o maior público das nossas unidades, e são as pessoas que ficam em casa, que desistem da sua vida profissional para cuidar de seus filhos. Hoje, estamos trazendo uma alternativa dentro das possibilidades que elas podem começar a desenvolver”, disse a assistente social.

Para o coordenador do programa Crédito Rosa, Adriano Silva, é necessário expandir as orientações sobre o financiamento para o maior número de mulheres empreendedoras, visto que ainda há muita desinformação sobre o assunto.

“O Crédito Rosa está nos restaurantes Prato Cheio para trazer informações sobre os serviços que o programa oferece. Muitas usuárias do Prato Cheio fazem parte desse público e como existe muita desinformação a respeito do programa, trouxemos essas orientações, que vão alavancar o trabalho delas. Nós já identificamos aqui manicures, vendedora de cosméticos, vendedora de churrascos”, destacou Adriano Silva.

As palestras são realizadas nas unidades do Prato Cheio desde o início da implantação do programa, com assuntos voltados para a educação, saúde, alimentação e cidadania.

A dona de casa, Marines de Jesus da Silva, 55, que frequenta o Prato Cheio do bairro Alvorada, ressaltou a importância de palestras como essas nas unidades.

“Eu gostei muito da palestra, porque é importante para a gente se aprofundar no assunto. Estou aprendendo como faz, como a mulher empreendedora desenvolve seu trabalho. Acho muito importantes essas palestras no Prato Cheio, porque a gente que não tem conhecimento, passa a ter”, disse a dona de casa.

Prato Cheio

O Prato Cheio é um programa social que tem como público alvo as pessoas em situação de vulnerabilidade, entre os quais desempregados, pessoas com deficiência, trabalhadores informais e mulheres que chefiam famílias e que se encontram em situação de extrema pobreza, pobreza ou baixa renda. O programa tem 44 unidades em funcionamento, sendo 18 em Manaus e 26 no interior.

O programa é dividido em dois serviços distintos: nos restaurantes populares, o almoço é vendido pelo valor simbólico de R$ 1 real, de segunda a sexta-feira, das 11h às 13h. Nas cozinhas populares, a sopa é gratuita e cada pessoa atendida tem direito a 1 litro do alimento, de sabores variados, de segunda a sábado, também das 11h às 13h.

Crédito Rosa

O programa é uma parceria entre a Secretaria de Estado da Assistência Social (Seas) e Agência de Fomento do Amazonas (Afeam) e tem transformado a vida de mulheres que buscam recursos para empreender.

O Crédito Rosa é voltado para mulheres que empreendem e atuam no mercado de trabalho, mas que tiveram suas atividades afetadas pela pandemia da Covid-19. Os financiamentos variam de R$ 500 a R$ 21 mil, de acordo com a análise de crédito da solicitante.

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email
Telegram
Print

MATÉRIAS RELACIONADAS

AMAZONAS

TCE - EM PAUTA

MANAUS

ASSEMBLEIA EM PAUTA

CÂMARA EM PAUTA

SÉRIE O AMAZONAS