Pesquisa apoiada pelo Governo do Amazonas avalia o potencial de novas drogas antitumorais

Facebook
Twitter
WhatsApp
FOTO: Érico Xavier/Fapeam

Buscar o aumento dos índices de sobrevida dos pacientes com câncer, em função do uso de novas drogas antitumorais é o principal objetivo de pesquisa intitulada “Estudo do potencial antineoplásico de compostos naturais e semi-sintéticos em modelos in vitro e in vivo”, apoiada pelo Governo do Amazonas, via Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam).

O estudo, pertencente ao Programa de Apoio à Pesquisa – Universal Amazonas, sob a coordenação de Patrícia Danielle Oliveira de Almeida, pesquisadora da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), abre a possibilidade para estudos de novos produtos, principalmente os amazônicos.

FOTO: Érico Xavier/Fapeam

De acordo com Patrícia, o projeto sofreu algumas modificações durante o seu desenvolvimento, justificadas pela falta de compostos em atividade promissora. “Por esse motivo o projeto sofreu alterações que resultaram na implementação de uma metodologia baseada na terapia fotodinâmica e para isto foram testados compostos da classe dos xantenos por terem propriedades de fotossensibilidades já conhecidas”, disse a doutora em Inovação Farmacêutica.

Segundo esse estudo inicial, baseado na avaliação da atividade antitumoral de diferentes compostos, onde se compreendeu os mecanismos de ação dos compostos e seus efeitos em camundongos. Um dos quais foi analisado foi o extrato de crajiru, que inicialmente apresentou atividade antitumoral interessante, mas a avaliação foi que ainda necessita de estudos de padronização.

As metodologias utilizadas foram duas: a primeira foi a in vitro, baseada em culturas de células, nas quais se avaliaram alguns mecanismos envolvidos no processo de morte celular; a segunda foi o ensaio in vivo em camundongos, nos quais as células tumorais foram inoculadas e o animais tratados com os compostos para avaliar se induziam a inibição do crescimento do tumor.

A busca por novas drogas antitumorais pode impactar a sociedade pela elevação da sobrevida de pacientes com câncer, principalmente quando se pesquisa drogas com maior atividade e com menores efeitos adversos. Ambientalmente, ocasionou o uso de técnicas sustentáveis e de química verde na síntese de novas moléculas.

FOTO: Érico Xavier/Fapeam

Economicamente, produziu novas drogas antitumorais nacionais, visando possível substituição de insumos quimioterápicos importados. Cientificamente, possibilitou a testagem de novas moléculas utilizando as técnicas in vitro e in vivo contribui para redução de custos e obtenção de respostas rápidas. Tecnologicamente, implantou uma técnica altamente específica e eficaz para o estudo de novos quimioterápicos.

O Programa de Apoio à Pesquisa – Universal Amazonas é uma iniciativa da Fapeam, que financia atividades de pesquisa científica, tecnológica e de inovação, ou de transferência tecnológica, em todas as áreas do conhecimento. Os estudos devem contribuir significativamente para o desenvolvimento socioeconômico e ambiental do Amazonas, oferecidos por instituições, ensino superior ou centros de pesquisas públicos ou privados, sem fins lucrativos.

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email
Telegram
Print

MATÉRIAS RELACIONADAS

AMAZONAS

TCE - EM PAUTA

MANAUS

ASSEMBLEIA EM PAUTA

CÂMARA EM PAUTA

SÉRIE O AMAZONAS