Wilson Lima recebe representantes da empresa Eneva e destaca avanços e perspectivas no mercado de Gás

O governador do Amazonas, Wilson Lima, destacou, nesta quarta-feira (16/11), os avanços no setor de Gás, a partir dos impactos positivos para o Estado promovidos pelo Complexo do Azulão, localizado no município de Silves (a 204 quilômetros de Manaus). Entre os avanços, estão melhorias na geração de empregos e renda.

“Estou muito feliz pelo avanço que temos tido nesse setor do gás e temos uma ótima expectativa para os próximos anos”, avaliou o governador. “Essa é a função do Estado, dar condições para que a empresa viabilize a realização desse projeto grandioso e valoroso para o Amazonas”, completou Wilson Lima.

Foto:Arthur Castro / Secom

A avaliação veio durante encontro do governador com o presidente da empresa Eneva (responsável pelo serviço em Silves), Pedro Zinner; diretor de Relações Institucionais da Eneva, Damian Popolo; Marcelo Lopes (relações Institucionais da Eneva); e o diretor Comercial da Eneva, Márcio Lira.

Segundo a empresa, o projeto de instalação das novas térmicas tem previsão de duração de quatro anos, no entanto já deve entrar em operação no terceiro ano. A expectativa é gerar 2.500 empregos diretos e até, aproximadamente, seis mil indiretos, com investimento total de R$ 5,8 bilhões.

“Tem sido uma história de sucesso desde 2018 e temos ótimas expectativas para os próximos anos, em parceria com o Governo do Estado, superando muitos desafios”, destacou o presidente da Eneva, acrescentando um agradecimento ao Governo do Amazonas pelo trabalho que vem sendo realizado na rodovia AM-010, que dá acesso, pelas estradas, aos municípios de Silves, Itapiranga e Itacoatiara.

 

Foto:Arthur Castro / Secom

Avanços

Em 2021, o governador do Amazonas quebrou o monopólio do gás natural no estado ao sancionar a Lei do Gás, de autoria do Executivo Estadual e aprovada pela Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), que estabeleceu um novo marco legal do serviço de distribuição e comercialização do gás natural.

A iniciativa proporciona ganhos econômicos e sociais para o Amazonas nos próximos anos, pois o setor passa a ganhar competitividade para atrair novos investimentos.

O mercado de gás tem a possibilidade de ser uma nova alternativa de matriz econômica para o estado, paralela à Zona Franca de Manaus. O Amazonas tem 16 áreas de exploração situadas em 19 municípios, incluídas em edital de licitação da Agência Nacional de Petróleo (ANP);

Eneva

A Eneva vai construir três térmicas movidas pelo Gás Excedente. Com o leilão para instalação de térmicas e expansão do mercado do gás, a previsão é de que seis mil novos empregos sejam gerados, com investimentos de R$ 5 bilhões. O governador Wilson Lima já esteve na planta do projeto em Silves e também na inauguração da Térmica em Boa Vista, no estado de Roraima, alimentada pelo gás que sai de Silves.

A Eneva também venceu o recente leilão da Aneel com seus projetos de geração termelétrica no Campo de Azulão (AM). As Usinas Termelétricas Azulão II e Azulão IV utilizarão o gás natural extraído no próprio campo, na Bacia do Amazonas, terão capacidade total instalada de 590 megawatts (MW).

A Eneva já opera no Amazonas, onde possui poços há quatro anos, e tinha licença para instalar uma primeira usina térmica no Campo de Azulão, referente ao Leilão de Reserva de Capacidade anterior, realizado em dezembro de 2021.

PORTAL DO AMAZONAS.COM

REDAÇÃO- (92) 3877-4539 contato@portaldoamazonas.com / socorromaia@portaldoamazonas.com/danielmanauara@portaldoamazonas.com

Related Articles

Check Also

Close
Close