TJAM vai entrar com ação contra Eletronorte/Amazonas Energia

A presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), desembargadora Graça Figueiredo, advertiu durante Sessão do Pleno, que a instabilidade no fornecimento de energia elétrica pela Eletronorte/ Amazonas Energia, que vem ocorrendo desde domingo, dia 22, está prejudicando, nos últimos dias, o trabalho TJAM, os advogados, as partes, os juízes que dependem do SAJ (Sistema de Automação da Justiça) para consultar o andamento de processos.

Foto: Raimundo Valentim | TJAM
Foto: Raimundo Valentim | TJAM

De acordo com a desembargadora-presidente, este é um problema antigo que vem ocorrendo desde a administração do desembargador João Simões (2010-2012), mas agora o problema recrudesceu e, às vezes, o apagão ocorre até cinco vezes por dia.

Além do prejuízo aos profissionais do direito, as idas e vindas de energia têm causado prejuízos materiais, como a queima de placas de computadores, ar condicionados e outros equipamentos –, informou Graça Figueiredo. Divulgando, ainda, que o TJAM vai entrar com uma ação responsabilizando a Eletronorte /Amazonas Energia pelos danos.

 “Entendemos que algo deve ser feito como a máxima urgência, para cessar o prejuízo à prestação jurisdicional, aos serviços judiciários e aos usuários

 A suspensão no fornecimento de energia elétrica, que começou no domingo, tem provocado a interrupção dos trabalhos internos no edifício sede do TJAM, na avenida André Araújo, s/n, Aleixo. Alguns departamentos chegaram a dispensar funcionários, haja vista que, algumas vezes, não havia perspectiva de restabelecimento imediato, o que impossibilitava o acesso ao SAJ.

Na segunda e  terça-feira, 24, houve quedas de energia, danificando alguns computadores, levando o Departamento de Informática do tribunal a desligar o servidor, para evitar maiores prejuízos.

A situação tem preocupado os magistrados, diante da expectativa cada vez maior da sociedade, que espera solução rápida dos processos judiciais, principalmente, os processos digitais. Por meio de sua assessoria de imprensa, o tribunal informou que o problema no fornecimento de energia é pontual.

A desembargadora Graça Figueiredo informou que, no início de sua administração, se reuniu várias vezes com a diretoria da Eletronorte/Amazonas Energia, inclusive com a presença do presidente da estatal, Radyr Oliveira, mas de nada adiantou.

O problema não é novo, pois a queda de energia e a instabilidade da corrente vem ocorrendo desde a administração do presidente João Simões. Entendemos que algo deve ser feito como a máxima urgência, para cessar o prejuízo à prestação jurisdicional, aos serviços judiciários e aos usuários – avaliou Graça Figueiredo.

PORTAL DO AMAZONAS.COM

Redação (92) 3877-4538 contato@portaldoamazonas.com

Related Articles

Check Also

Close
Close