Secretário de Segurança “se cala” sobre assassinato de advogado por delegado no AM

BOSCO SARAIVA Secretário de Segurança do Amazonas é rápido no gatilho para divulgar vídeos de suas “ações” midiáticas, mas para se solidarizar com uma esposa e mãe agora de duas órfãs, não tem tempo!

Mais de 24h depois do assassinato do Advogado Wilson Justo Filho pelo ” delegado”Gustavo de Castro Sotero e o Secretário de Segurança Bosco Saraiva não se pronunciou, ou seja, está ignorando a sociedade amazonense! LAMENTÁVEL!

 

ENTENDA O CASO

Advogado morre após levar tiro no peito no bar Porão do Alemão

Pelo menos quatro pessoas foram baleadas na madrugada deste sábado, no bar Porão do Alemão. Uma pessoa, o advogado Wilson Justo Filho, morreu com quatro  tiros no peito. Outras três pessoas ficaram feridas.  

O crime ocorreu por volta das 2h. O autor dos disparos, segundo a Polícia Civil,  foi o delegado Gustavo Sotero. Ele acabou preso e levado para o 19o Distrito Integrado de Polícia, onde foi indiciado por homicídio doloso e lesão corporal

As vítimas foram atingidas quando estavam no piso inferior do bar, bem próximo ao palco.

Pelas redes sociais as pessoas que estavam no momento do tiroteio relataram o momentos de pânico. “O atirador estava perto de mim. Vi os fogos da arma dele e fiquei paralisada”, relatou uma frequentadora do bar, que disse ter ficado ferida pelos cacos de vidro espalhadas após o tiro. “Saí engatinhando no chão cheio de vidro quebrado (…).  Tremia tanto, fiquei tão desesperada que não senti dor nenhuma, só queria ficar longe dele”.

O delegado Gustavo Sotero, foi preso em flagrante pelo assassinato do advogado Wilson Justo Filho, no Porão do Alemão.

Em seu depoimento, Sotero afirma que foi surpreendido com um soco e que chegou a pedir para o advogado parasse a agressão. O delegado também alegou que não conhecia a  Wilson Justo, e que não teve noção de que atirou em outras pessoas. Ele afirmou não saber precisar quantos tiros efetuou, “mas que foram somente os disparos necessários para pôr fim à agressão sofrida”.

O relato de Sotero diverge do depoimento da testemunha Alexandre Mascarenhas Pinto, que também consta no documento. Segundo ele, a confusão iniciou quando Gustavo atirou deliberadamente na perna da esposa de Wilson, Fabíola Oliveira.

Adovado Wilson Justo,- Foto: Reprodução

Wilson Justo Filho, conhecido como Wilsinho, era presidente do PR de Novo Airão. A esposa dele, identificada como Fabiola Rodrigues Pinto de Oliveira, de 31 anos, também foi baleada, mas segundo a Polícia Civil já teve alta. Outras duas pessoas também ficaram feridas mas já foram liberadas.

Além de advogado e político, Wilsinho também era praticante de rugby. Ele deixa duas filhas.

Delegado que matou advogado fica em sala especial e tem prisão convertida para preventiva

 

A prisão em flagrante do delegado Gustavo Sotero, que matou o advogado Wilson Filho,na madrugada do sábado, (25/11), às 2h40 na casa noturna Porão do Alemão foi convertida em preventiva , durante audiência de custodia realizada na tarde deste sábado (25) no Fórum Ministro Henoch Reis.

Segundo o presidente da OAB-AM Marcos Aurélio Choy , a decisão do juiz do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) atendeu o objetivo da ordem dos advogados.

“Ele alega legítima defesa, mas entendemos que não há defesa, porque ele disparou quatro tiros contra o advogado. Deu dois tiros no primeiro momento e outros dois depois. Por mais que o advogado tivesse discutido com ele, a reação foi desproporcional. Entendemos como acertada a decisão do juiz”, declarou Choy

“Existe uma ameaça à sociedade sim. Existem outros episódios envolvendo o delegado, noticiados amplamente pela imprensa. Pugnamos pela demissão desse delegado a bem do serviço público. Não podemos aceitar que um agente de segurança pública do Estado saia dando tiro por aí em casa noturna onde todos nós, os nossos filhos, qualquer um de nós poderia estar hoje naquele caixão”, disse o presidente da OAB-AM.

O delegado deve ser encarcerado no cárcere da Delegacia Geral da Polícia Civil do Estado do Amazonas.

Em Nota a OAB- AM informou que o velório do advogado Wilson Justo Filho, acontece na sede da OAB-AM, localizada na avenida Umberto Calderaro Filho, 2000, Adrianópolis, a partir das 15h. O enterro será às 10h deste domingo (26), no Cemitério São João Batista, localizado na Avenida Boulevard Álvaro Maia, bairro Nossa Sra. das Graças.

 

Delegado-geral fala sobre o assassinato ocorrido no Porão do Alemão

O delegado-geral da Polícia Civil do Amazonas, Mariolino Brito, e a corregedora-geral da Polícia Civil na Corregedoria-Geral do Sistema de Segurança Pública do Amazonas, delegada Iris Trevisan, falaram durante coletiva de imprensa, realizada neste sábado (25/11), no prédio da Delegacia-Geral, sobre o homicídio envolvendo o delegado de Polícia Civil, Gustavo de Castro Sotero, 41, no Porão do Alemão, situada na avenida São Jorge, bairro São Jorge, zona oeste da cidade. O advogado Wilson de Lima Justo Filho foi vítima de disparos de arma de fogo desferidos pelo policial civil. A vítima tinha 35 anos.

 

O caso foi registrado no 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP), relatando que o crime ocorreu na madrugada deste sábado (25/11), às 2h40. Na ocasião, o delegado Gustavo efetuou disparos de arma de fogo, dos quais quatro atingiram o advogado. Além de Wilson, outros três indivíduos, dentre eles a esposa da vítima, uma mulher de 31 anos, também foram atingidos pelos disparos, porém resistiram às lesões e foram encaminhadas ao Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto, onde receberam o atendimento médico necessário. Os dois homens já receberam alta médica.

VEJA O DEPOIMENTO DO DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL DO ESTADO DO AMAZONAS, GUSTAVO DE CASTRO SOTERO.

O delegado foi conduzido ao 19º DIP, onde foi autuado em flagrante por homicídio doloso e lesão corporal. “A Policia Civil está consternada pelo ocorrido, pois ele representa um caso isolado envolvendo a instituição. Todos os procedimentos cabíveis foram instaurados, e o delegado foi flagranteado e será encaminhado à Audiência de Custódia ainda na tarde de hoje. Essa situação não representa a conduta dos policiais civis, por isso está sendo realizada uma apuração exemplar na forma da Lei”.

O  procedimento administrativo já foi adotado pela instituição, onde foi determinado a instauração do Procedimento Administrativo Disciplinar (PAD), que tratam de casos mais graves que envolvem servidores dos órgãos de segurança pública.

O delegado Gustavo Sotero, que matou o advogado Wilson Justo Filho e deixou varias pessoas feridas durante um tiroteio no bar Porão do Alemão na madrugada deste sábado (25), já tinha se envolvido em uma confusão de trânsito e foi parar na delegacia. Na ocasião, o delegado colidiu o seu veículo no carro do representante comercial. O caso aconteceu no dia 13 de fevereiro de 2014, Gustavo Sotero teria se recusado a fazer o teste do bafômetro e não queria pagar o prejuízo causado no carro que bateu.

“A Corregedoria toma bastante cuidado com os procedimentos durante o seu processamento, ouvindo todas as partes envolvidas, analisando todas as provas materiais, para que não incorra nulidade futura. Após a conclusão do PAD, pode ocorrer uma punição, a nível de suspenção, advertência ou demissão”, explicou Trevisan.

 

Corregedoria da Segurança Pública determina afastamento e retirada de posse de arma do delegado que matou o advogado

Foto: Reprodução Facebook

A Corregedoria-Geral do Sistema de Segurança Pública do Amazonas instaurou neste sábado (25/11), um Procedimento Administrativo Disciplinar (PAD) em face do delegado da Polícia Civil Gustavo de Castro Sotero.

A Corregedora-Geral, delegada Íris Trevisan, determinou o imediato afastamento do policial e a retirada do porte de arma do policial.

A investigação na Corregedoria-Geral já está em andamento e as testemunhas do crime cometido pelo policial devem começar a serem ouvidas na próxima segunda-feira (27/11).

Related Articles

Check Also

Close
Close