Saúde realiza visita técnica para monitoramento e controle da tuberculose em Humaitá

A visita técnica é realizada até sexta-feira (29/04)

A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Drª Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP), vinculada à Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (SES-AM), realiza, até sexta-feira (29/04), uma visita técnica para monitoramento e avaliação das ações de controle da tuberculose no município de Humaitá (590 quilômetros de Manaus).

A visita técnica é realizada em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Humaitá e conta com a apresentação de indicadores epidemiológicos e operacionais da tuberculose, visita às Unidades Básicas de Saúde (UBS), à rede laboratorial e hospitalar, realização de treinamento teórico e prático da prova tuberculínica, além de capacitação sobre tuberculose e Infecção Latente por Tuberculose.

De acordo com a diretora-presidente da FVS-RCP, Tatyana Amorim, é importante aumentar o diagnóstico e tratamento da infecção latente da tuberculose, reduzindo o risco de adoecimento por tuberculose nos próximos anos.

“Quanto maior o número de unidades básicas de saúde e de profissionais capacitados desenvolvendo ações de controle da tuberculose melhor, inclusive atuando frente à Infecção Latente da Tuberculose, quando há ausência de sintomas”, destaca Tatyana.

A coordenadora do Programa Estadual de Controle à Tuberculose (PECT), Lara Bezerra, destaca que o principal objetivo da visita técnica em Humaitá é a implantação do Protocolo da Vigilância de Infecção Latente da Tuberculose (ILTB) e o regime de tratamento 3HP para esse tipo de infecção, que são dois medicamentos: a rifapentina e isoniazida, tomados durante três meses.

“A vigilância da ILTB visa, a partir da notificação e acompanhamento das pessoas em tratamento, construir o panorama epidemiológico da ILTB no município, monitorando o cuidado prestado a esses indivíduos nos serviços de saúde”, ressalta Lara.

FOTOS: Divulgação/FVS-RCP

Cenário – De janeiro a março de 2022, foram registrados 852 casos novos de tuberculose no Amazonas, sendo 270 em janeiro, 297 em fevereiro e 285 em março. No ranking dos municípios com maior quantidade de registro de casos novos estão: Manaus (622), Manacapuru (24), Itacoatiara (15), Coari (15), Iranduba (14), Tefé (13), Tabatinga (11), Humaitá (11), Autazes (10) e Maués (9).

Em todo o Amazonas, o número de casos novos de tuberculose oscilou nos últimos três anos, sendo 3.211 casos novos em 2021, 2.852 em 2020, e 3.244 em 2019.

Prevenção – A tuberculose é uma doença infecciosa e transmissível, causada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis, também conhecida como bacilo de Koch. A doença afeta prioritariamente os pulmões (forma pulmonar), embora possa acometer outros órgãos e sistemas.

A vacina BCG (bacilo Calmette-Guérin), ofertada no Sistema Único de Saúde (SUS), protege as crianças das formas mais graves da doença. A vacina está disponível nas salas de vacinação das unidades básicas de saúde e em algumas maternidades. É ministrada às crianças ao nascer, ou, no máximo, até os quatro anos, 11 meses e 29 dias.

Referência – A FVS-RCP é responsável pela Vigilância em Saúde do Amazonas, o que inclui a prevenção à tuberculose por meio do Programa de Controle da Tuberculose (PECT), no Departamento de Vigilância Epidemiológica (DVE).

A instituição funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, na avenida Torquato Tapajós, 4.010, Colônia Santo Antônio, Manaus. O contato telefônico da FVS-RCP é o (92) 3182-8510.

Related Articles

Check Also

Close
Close