Profissionais da saúde da Prefeitura de Manaus apresentam projetos para fortalecimento do SUS

Servidores da área da Saúde, da Prefeitura de Manaus, iniciaram, nesta quinta-feira, 6/10, o programa de apresentação de projetos de intervenção na Atenção Primária à Saúde (APS). Os profissionais da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) desenvolveram os trabalhos durante cursos de especialização conduzidos pelo Hospital Sírio Libanês (HSL), que integram o Projeto de Desenvolvimento da Gestão de Programas de Residência e da Preceptoria no Sistema Único de Saúde (DGPSUS), do Ministério da Saúde.

A exposição dos trabalhos acadêmicos, que será concluída nesta sexta-feira, 7/10, está acontecendo no auditório Naíde Lins, da unidade 1 do Ceuni-Fametro, localizado na avenida Constantino Nery, zona Centro-Sul. No total, são 12 profissionais da secretaria, entre médicos, enfermeiros, odontólogos e farmacêuticos, apresentando trabalhos de pesquisa nos períodos da manhã e à tarde.

Os projetos de intervenção são avaliações parciais dos cursos “Gestão de Programas de Residência em Saúde” e “Preceptoria no SUS”, cujo objetivo é qualificar as ações de cuidado à saúde, por meio de iniciativas educacionais e intervenções no contexto real dos usuários do SUS. Essas propostas estão sendo avaliadas por profissionais convidados e os vinculados aos GPDSUS.

A secretária da Semsa Manaus, Shádia Fraxe, destaca que a apresentação dos estudos é um momento de fundamentação e reconhecimento ao conhecimento adquirido na vivência cotidiana das unidades de saúde, resultando numa contribuição valiosa para o aprimoramento do SUS.

“A gestão do prefeito David Almeida prioriza a saúde e busca a excelência do SUS. E nesse sentido os cursos de especialização gerenciados pelo Hospital Sírio Libanês, uma instituição que é referência no Brasil, são importantes para criar meios de aprimorar a assistência à saúde da população. Estou feliz pela valorização do conhecimento dos nossos profissionais, pois eles conhecem a realidade e esse compartilhamento de saberes é muito positivo para a saúde municipal”, afirmou Shádia.

A diretora da Escola de Saúde Pública de Manaus (Esap), Karina Cerquinho, assinala que a apresentação dos projetos de intervenção é uma etapa fundamental, para que os envolvidos em sua construção avaliem sua continuidade a partir de uma análise coletiva, que enriquece e contribui para o sucesso na realidade local de cada participante.

“Esse é um projeto grandioso do Ministério da Saúde em parceria com o Hospital Sírio Libanês, que incentiva a promoção e ampliação do trabalho desenvolvido pelas residências na área da Saúde. A participação dos servidores nesses projetos educacionais caminha ao encontro do que preconiza a gestão da Semsa, na busca pela excelência de um SUS municipal forte e na oferta de assistência qualificada ao usuário”, explicou Karina.

A Facilitadora de Aprendizagem e Projetos de Intervenção do Hospital Sírio Libanês, Adriana Elias, que está acompanhando a programação em Manaus, explica que os projetos são fundamentais para avaliar o território e prestar um serviço qualificado à população.

“São propostas que geram melhorias nos atendimentos e consequentemente, nos indicadores de saúde. É importante ressaltar que essas propostas estão sendo avaliadas e, em seguida, serão validadas junto aos gestores e atores estratégicos da Semsa, que são nossos parceiros, para propor intervenções nos territórios de saúde”, destacou.

Os cursos, que têm duração de 24 meses, na modalidade híbrida e virtual, iniciaram em fevereiro deste ano na Unidade 05 do Curso de Medicina da Fametro, que dá suporte estrutural para o DGPSUS. A Semsa tem representatividade no projeto, por meio da Coordenadora da Comissão de Residência Multiprofissional (Coremu/Semsa), que dá apoio no processo de indicação dos participantes.

Valeriano Lucas

REDAÇÃO- (92) 3877-4539 contato@portaldoamazonas.com / socorromaia@portaldoamazonas.com/danielmanauara@portaldoamazonas.com

Related Articles

Check Also

Close
Close