Presidido por Wilson Lima, Codam aprova R$ 1,5 bilhão em novos investimentos industriais no Amazonas

Foram aprovados 40 projetos de novas indústrias, com estimativa de geração de mais de 1,3 mil postos de trabalho

O Conselho de Desenvolvimento do Estado do Amazonas (Codam) aprovou, nesta segunda-feira (20/06), mais de R$ 1,5 bilhão em novos investimentos industriais para o estado. Presidida pelo governador Wilson Lima, a 296ª reunião do conselho aprovou 40 projetos industriais, com estimativa de criação de mais de 1,3 mil postos de trabalho e ocorreu durante o Fórum Permanente de Desenvolvimento Sustentável.

O Fórum reuniu empresários e autoridades, sob a coordenação da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti), para discutir os rumos dos investimentos na economia verde no Amazonas. O evento acontece até amanhã no Salão Rio Solimões, do Centro Cultural Palácio Rio Negro, no bairro Centro, zona sul de Manaus.

“Essa é a minha preocupação enquanto governador, naturalmente. É importante a vinda para cá de empresas, a instalação de novos projetos, mas a gente tem um foco muito grande que é a questão social. A oportunidade que a gente vai dar para famílias do Estado do Amazonas, que têm a possibilidade de sustentar seus filhos”, disse o governador.

Dos projetos aprovados, 20 são de implantação, 17 de diversificação e três de atualização. Um dos destaques é o projeto da Oben Brasil LTDA, para investimento na produção de chapa, folha, tira, película, resina termoplástica, entre outros itens. O valor da aplicação é de R$ 761 mil. E a Inventus Power Eletrônica do Brasil teve seu projeto de fabricação de máquinas de transações financeiras aprovado.

Além da capital, a reunião aprovou projetos da Portela Comércio de Produtos Alimentícios Eireli, para o município de Lábrea, que vai produzir castanha beneficiada. Em Humaitá, o projeto aprovado é da empresa Pleno Indústria e Comércio de Ferragens e consiste na produção de estruturas de ferro para construção civil.

O titular da Sedecti, Angelus Figueira, disse que as próximas edições do Codam ocorrerão em intervalo menor, para que se possa ampliar o volume de propostas aprovadas. “Estaremos abreviando as reuniões para diminuir prazo e aprovar mais projetos. Temos inúmeros projetos em curso, sendo analisados”, disse.

Este ano, o Codam já aprovou R$ 3,5 bilhões em investimentos previstos para os próximos três anos, com mão de obra projetada para 2.954 novos postos de emprego. Entre 2019 e 2021, foram aprovados 609 projetos, resultando em R$ 36,11 bilhões em investimentos e na geração projetada de 22.771 novos postos de trabalho.

Desenvolvimento Sustentável

De forma pioneira, o governo do Amazonas está realizando a primeira edição do Fórum Permanente de Desenvolvimento Sustentável. De acordo com o governador Wilson Lima, o objetivo é promover discussões em torno do desenvolvimento econômico do Amazonas para se complementar às atividades que são desenvolvidas na Zona Franca de Manaus.

“Nós elencamos 21 cadeias produtivas no setor primário. O investimento também na piscicultura. A gente tem o turismo também como um desses vetores de desenvolvimento, tem o gás e a mineração”, acrescentou Wilson Lima.

Para o titular da Sedecti, Angelus Figueira, os novos vetores que serão discutidos no Fórum podem mudar o rumo da economia do estado a curto, médio e longo prazos. Figueira reforçou também o diálogo com a iniciativa para a promoção do desenvolvimento na região.

“Nós precisamos que esse seja o caminho dos amazonenses. Isso precisa ser um projeto que todos participem, não um projeto de cima para baixo. É por isso que está sendo feito dessa forma. É um projeto que está sendo discutido com a sociedade, verdadeiramente”, completou o titular da Sedecti.

O evento conta com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) e da Agência de Cooperação Técnica Alemã (GIZ), além da participação de instituições de todos os segmentos público e privado que promovem, direta e indiretamente, a economia do estado, assim como, a presença de empresas com potencial investidor.

O Fórum foi desenhado para discutir e criar alternativas que gerem ocupação e renda para a população da capital e do interior, fortalecendo e complementando a economia do Polo Industrial de Manaus (PIM). Para o interior, a ideia é trabalhar a expansão de lavouras industriais (cacau, café, açaí e outras culturas), assim como, incentivar o uso sustentável dos recursos naturais, a exemplo do manejo florestal sustentável.

Related Articles

Check Also

Close
Close