Presidente da Aleam, deputado Roberto Cidade, repudia comportamento agressivo e declarações chulas de prefeito de Borba

Facebook
Twitter
WhatsApp

O presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), deputado estadual Roberto Cidade (UB), cobrou nesta terça-feira (1º/11), que os órgãos de controle ajam de forma célere para apurar irregularidades eleitorais cometidas pelo prefeito de Borba, Simão Peixoto durante o segundo turno das eleições gerais.

Conforme denúncias que chegaram ao parlamentar e que serão levadas aos órgãos de controle, Peixoto teria efetuado a compra de votos mediante a entrega de cestas básicas. Além disso, o prefeito do município vem sendo amplamente criticado pelas palavras chulas usadas contra o governador do Amazonas reeleito, Wilson Lima (UB), contra o presidente da Assembleia Legislativa e outras lideranças que fazem oposição a Peixoto, em Borba.

“O prefeito de Borba só faz a política da perseguição, a política da mentira para a população, do enfrentamento e da perseguição. É lamentável ter em Borba alguém que tem uma conduta violenta, que já agrediu várias pessoas e tem vários processos contra ele. Ele desrespeitou o chefe do Executivo reeleito. Imagina o que ele não faz a um cidadão mais humilde? Vou cobrar o Ministério Público, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM) e os demais órgãos de controle para que fiscalizem a atuação desse prefeito. Foram pegos vários ranchos que ele estava distribuindo. Teve compra de votos, teve muitas coisas erradas e eu acredito que isso será apurado pela Justiça Eleitoral e, em breve, a justiça será feita com esse prefeito que, na minha opinião, não deveria mais estar à frente do Executivo de Borba”, declarou.

Cidade relembrou que há cerca de dois meses o Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM) realizou uma inspeção extraordinária no município com o intuito de apurar denúncias de irresponsabilidade com o limite de gastos e de uso suspeito do dinheiro público na compra de cestas básicas de alimentos. À época, o corregedor da Corte de Contas, Ari Moutinho Júnior justificou a ação pela reincidência em irregularidades e em ignorar alertas da corte de contas, tal como os descumprimentos do limite de gasto com pessoal ao longo dos exercícios 2019, 2020 e 2021.

“Recentemente, o TCE foi lá fiscalizar e nós soubemos que ele (Simão Peixoto) queimou vários documentos da prefeitura, tirando qualquer prova que tivesse contra ele lá. Desde quando ele foi presidente da Câmara Municipal de Borba, as contas dele foram reprovadas pelo TCE e, agora, o TCE foi lá e, conforme informações preliminares, ele vai ter que devolver mais de R$ 12 milhões aos cofres públicos em razão de licitações obscuras e outras ações duvidosas. As gestões dele sempre foram marcadas por pontos negativos e, desta vez não tem sido diferente. Infelizmente ele é um cidadão despreparado, corrupto e que não merece estar à frente da Prefeitura de Borba”, opinou.

O parlamentar repudiou ainda as declarações chulas proferidas contra o governador Wilson Lima, contra ele e demais opositores de Peixoto em Borba. “Esse prefeito, infelizmente, faz a política do mal, que persegue as pessoas. O candidato Eduardo Braga ganhou as eleições lá, mas isso não lhe dá o direito de fazer o papelão que ele está fazendo. Falando de forma chula de todos. Isso não é atitude de homem maduro, de quem está à frente do Executivo, de quem tem responsabilidade de gerir um município tão importante como o de Borba. Eu prezo a paz. Sou um deputado que respeito as pessoas. Essa é a minha postura. Ele desrespeitou o chefe do executivo reeleito, incitando a violência. Ele gosta de resolver as coisas assim. Ele é agressivo, oprime as pessoas e políticos assim, ruins, não merecem nosso apoio, ao contrário, merecem repúdio”, afirmou.

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email
Telegram
Print

MATÉRIAS RELACIONADAS

AMAZONAS

TCE - EM PAUTA

MANAUS

ASSEMBLEIA EM PAUTA

CÂMARA EM PAUTA

SÉRIE O AMAZONAS