Núcleo do Pelci incentiva prática do basquetebol para crianças e jovens saírem do sedentarismo

Pequenos atletas treinam na Arena Amadeu Teixeira, na zona centro-sul de Manaus

Um total de 22 crianças e jovens praticantes de basquetebol, alunos do Projeto Esporte e Lazer na Capital e Interior (Pelci), estão saindo do sedentarismo e treinando intensamente na Arena Amadeu Teixeira, praça do Governo do Amazonas, administrada pela Fundação Amazonas de Alto Rendimento (Faar).

O diretor-presidente da Faar, Jorge Oliveira informou que o Pelci tem a finalidade de desenvolver a prática desportiva por meio das escolinhas e núcleos nos bairros.

“Sei da importância para essas crianças e jovens em receber fomentos esportivos, pois o desenvolvimento do alto rendimento depende de um bom trabalho desde a base. Além do mais, investir no esporte é diminuir índices de violência, promover qualidade de vida e formar cidadãos para o futuro, pilares fundamentais para o sucesso da população”, frisou Oliveira.

Para o professor Victório Cestaro, o Núcleo do Pelci de Basquetebol é uma forma de incentivar as crianças e adolescentes a saírem das ruas e terem um momento de lazer nas quadras.

“É uma forma como alguns atletas também podem alcançar o alto rendimento. Nosso intuito é fomentar o basquete no estado, além de incentivar os alunos a participarem das aulas e que também saiam daqui novos atletas”, afirma Cestaro.

Mãe de uma das alunas do Pelci, Alice de Lima Oliveira destaca que o projeto é importante para a filha, Lorrana de Lima Oliveira, de 9 anos, pois ajuda na prática de exercícios físicos e desenvolvimento da criança no dia a dia.

“Quando eu vi as inscrições a respeito do projeto vim logo aqui. O basquete é o esporte de que minha filha mais gosta. Ela joga com o pai dela, então, quando eu vi que tinha essa modalidade, falei que iria colocá-la e aproveitar essa oportunidade”, conta a mãe da pequena atleta.

FOTOS: Rudson Munique/Faar

Pequenos atletas – Atleta do Pelci, Lorrana ressaltou que é fã da modalidade e se inspirou no pai para começar a praticar o esporte. “É um esporte que requer um pouco de esforço e força. Isso é legal para mim porque quando eu crescer quero ser uma jogadora de basquete”, frisa Lorrana Oliveira.

O adolescente João Victor Souza Luiz, de 13 anos, explica que o Núcleo do Pelci de Basquetebol da Arena Amadeu Teixeira também teve papel importante na vida dele para retirá-lo do sedentarismo. “Agora eu tenho algo novo para fazer e gosto muito de basquete. Brincava de vez em quando. O Pelci chegou no momento certo na minha vida”, relata o jovem atleta.

Vagas – Na Arena Amadeu Teixeira, as turmas de basquete 10 a 14 anos ainda contam com 13 vagas disponíveis. Já para as turmas para jovens de 15 a 17 anos restam 24 vagas.

No núcleo do Pelci na Escola Estadual Solon de Lucena, o basquetebol acontece tanto na categoria tradicional como na 3/3. Na tradicional, as aulas são realizadas nas segundas e quartas-feiras, das 11h15 às 13h. No 3/3, a turma recebe aulas às terças e quintas. Ambas as turmas são para jovens de 14 a 17 anos e com o horário sendo das 11h15 às 13h. No Solon, a turma de basquete tradicional ainda conta 26 vagas, e para o 3/3 restam 15 vagas.

Related Articles

Check Also

Close
Close