“Nada e nem ninguém vai interferir na Justiça Eleitoral” diz Fachin

O ministro disse que quem vai ganhar as eleições no Brasil  é a democracia, e que esse processo eleitoral brasileiro é totalmente seguro.

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Edson Fachin, repudiou de forma dura os ataques do Presidente Jair Bolsonaro, quanto a transparência do pleito eleitoral de 2022.  Fachin afirmou, nesta quinta-feira (12/5), que ninguém irá interferir na Justiça Eleitoral. O TSE trava uma dura queda de braço, respondendo  ao presidente Jair Bolsonaro (PL), que declarou  que as Forças Armadas fizessem uma apuração paralela no decorrer da apuração dos votos das urnas eletrônicas neste ano de eleição, colocando em dúvida a legitimidade do processo eleitoral

Fachin fez seu discurso durante evento de testes de urnas eletrônicas no prédio do TSE. “Nada e nem ninguém vai interferir na Justiça Eleitoral”. Esse processo  eleitoral brasileiro é totalmente seguro. “No Brasil de hoje, quem põe em dúvida o processo eleitoral é porque não confia na democracia”, disse o presidente do TSE.

Em tom firme, o ministro disse que quem vai ganhar as eleições no Brasil  é a democracia e que as eleições dizem respeito à população civil que, de maneira livre e consciente, escolhe seus representantes. “ Diálogo sim, colaboração sim, mas na Justiça Eleitoral, quem dá a palavra final é a Justiça Eleitoral…quem trata de eleições são forças desarmadas”, declarou.

Quando questionado se a declaração era um recado a Bolsonaro, Edson Fachin negou e subiu o tom. “Não mando e não recebo recado de ninguém’’ ele reiterou que: “ os fatos falam por si só. Quem defende ou incita intervenção militar está praticando um ato de afronta à Constituição e afronta a democracia. Portanto, não se trata de um recado, é uma constatação fática. Nós temos o devido respeito ao chefe de estado, eleito pelo voto popular e jamais nos furtaremos a qualquer diálogo com o chefe de estado e com quem queira dialogar conosco”.  frisou Fachin

Na ocasião o ministro disse que a Justiça Eleitoral está aberta a ouvir, mas jamais estará aberta a se dobrar a quem quer que seja tomar as rédeas do processo eleitoral. “Há muito barulho no canteiro de obras da política, mas esse é um tribunal que opera com racionalidade técnica. Nós operamos de acordo com as soluções técnicas que são ofertadas”, destacou o ministro.

“País e sociedade agradecem. Vamos ter dia 2 de outubro, o Brasil terá eleições limpas, seguras, com paz e segurança. Ninguém e nada interferirá na Justiça Eleitoral. Não admitimos qualquer circunstância que impeça o brasileiro de se manifestar”, afirmou Fachin.

Embora negando o recado, as falas foram firmes, fortes e bem diretas ao Presidente Jair Bolsonaro e as Forças Armadas. Fachin, não mandou somente um recado, mandou uma rajada de recados e deixou bem claro que está aberto ao dialogo, pode ouvir mas, quem decide as regras do jogo é a justiça eleitoral ou seja, a palavra final é da justiça eleitoral.

 

Foto: Jair Bolsonaro (PL) – Marcos Corrêa/PR

Foto: Edson Fachin – Comunicação – Tribunal Superior Eleitoral – TSE

Related Articles

Check Also

Close
Close