Fundação Estadual do Índio, em parceria com Sepror e Idam, leva apoio a pequenos produtores rurais

A Fundação Estadual do Índio (FEI), em parceria com a Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror) e o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário do Amazonas (Idam), realizaram uma visita técnica na propriedade de uma família indígena da etnia Mura, para tratar da elaboração e implantação de uma horta no local. A propriedade, visitada na última sexta-feira (07/08), fica no Km 92 da rodovia BR-174 (Manaus-Boa Vista), em Presidente Figueiredo, município da Região Metropolitana de Manaus distante 117 quilômetros da capital.

O diretor técnico da FEI, Fabrício Corrêa, falou da importância da atividade. “É preciso fortalecer a agricultura familiar, estimulando o pequeno produtor rural, investir nesse setor com toda assistência técnica necessária e de melhorias na infraestrutura e no processo produtivo. Isso amplia as oportunidades de acesso aos mercados e isso é possível com o apoio da Sepror e do Idam que são grandes parceiros”, relatou o diretor.

FOTOS: Divulgação

A FEI já trabalha na elaboração e implantação de projetos que visam o estímulo à produção rural em comunidades indígenas e agricultura familiar. Na ação em Presidente Figueiredo, a fundação irá atuar na parte social, bem como na mobilização, enquanto a Sepror fará o fornecimento de equipamentos e insumos, e o Idam do município irá executar a assistência técnica.

Para o produtor rural, Pedro Mura, a parceria entre os órgãos representa segurança e o fortalecimento da agricultura familiar. “Esse apoio da FEI, Sepror e Idam é a garantia que temos para desenvolver um grande trabalho e a variedade de hortaliças, além da garantia de renda a minha família, o que resulta em fortalecimento da agricultura familiar”.

A FEI, por meio do Departamento Indígena de Desenvolvimento Sustentável (DDS) e em parceria com os órgãos do setor primário, oferece suporte técnico a aproximadamente 200 comunidades indígenas em diversos municípios (Alvarães, Anamã, Autazes, Borba, Coari, Maraã, Nhamundá, São Gabriel da Cachoeira, Tefé e Uarini) na elaboração e implementação de projetos de cunho sustentável com geração de renda, obedecendo às diretrizes e objetivos da Política Nacional de Gestão Ambiental de Terras Indígenas (PNGATI).

Close