‘É um sonho ter nosso asfalto’, diz canoeiro que vive do turismo em área de ramal no Iranduba

Recebendo pavimentação, ramal Cachoeira do Castanho, no Km 24 da AM-070, é via de acesso para 300 famílias

“É um sonho a gente ter nosso asfalto”. O desejo do canoeiro Luiz Gonzaga, de 74 anos, que vive do turismo comunitário na região do ramal Cachoeira do Castanho, no Km 24 da rodovia AM-070, deixou de ser apenas um sonho para se tornar realidade com a pavimentação da pista, único canal de entrada e saída para 300 famílias que vivem naquela área em Iranduba (a 27 quilômetros de Manaus).

O Cachoeira do Castanho foi um dos três ramais visitados pelo governador Wilson Lima na sexta-feira (27/08). O projeto recebeu investimento de R$ R$ 6.710.252,02 para a recuperação de 7 quilômetros. De acordo com a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Região Metropolitana de Manaus (Seinfra), com os serviços 50% executados, a previsão é concluir a obra em dezembro deste ano.

A renda do canoeiro não é fixa, pois depende da chegada de turistas no restaurante onde ele divulga o transporte, aquecendo o turismo local. Conhecido como “Billy” por todos na área, Luiz Gonzaga leva os clientes para hotéis, flutuantes, restaurantes, sempre bem-humorado para garantir o valor de R$ 30 por cada trajeto, com até oito passageiros. “Minha renda é do turismo, transportar o pessoal”, diz ele.

FOTOS: Bruno Zanardo/Secom e Diego Peres/Secom

Luiz vive sozinho em uma casa no ramal e não tem veículo para enfrentar a estrada. Por conta disso, ele afirma pagar até R$ 40 para chegar à zona urbana de Iranduba. Pela idade avançada, ele disse que passa por dificuldades em sua locomoção, principalmente para ter acesso aos benefícios de aposentadoria.

“Nós idosos temos dificuldade para chegar lá fora, porque ninguém tem transporte. Quem tem transporte leva, nós não temos, ou pegar uma carona ou pagar uma moto. Tem moto aí que leva R$ 20 até lá fora. Lá você paga mais R$ 10 até a entrada do Iranduba, do Iranduba para pegar a lotação é mais R$ 10”, contou.

Ainda segundo o canoeiro, a expectativa é que a pavimentação do ramal aumente o lucro por meio do turismo. “É porque é um sonho realizado. Com certeza, para todos nós é um sonho a gente ter nosso asfalto. Eu acreditava, eu acreditava… Tinha um bocado de governo que prometeu e até agora não fizeram nada, e esse aí resolveu”.

Ramal Cachoeira do Castanho – A obra no ramal da Cachoeira do Castanho recebeu investimento de R$ 6.710.252,02, gerando 180 empregos diretos e indiretos. O ramal tem 7 quilômetros de extensão e, nesta etapa, receberá serviços de terraplenagem, drenagem, estrutura de pavimento, subleito, sub-base e base, e aplicação da primeira camada de asfalto do tipo CBUQ.

Coloque
FOTOS: Bruno Zanardo/Secom e Diego Peres/Secom

Os serviços incluem ainda, a elevação do greide da pista em alguns trechos, para evitar inundações nos períodos de enchente. A obra apresenta o percentual de 50% de execução e previsão de conclusão para dezembro deste ano

Além do Cachoeira do Castanho, outros dois ramais em Iranduba estão recebendo pavimentação: o ramal do Uga-Uga, no Km 26, e o ramal Santa Maria, localizado no Km 13 da AM-070. Ao todo, os investimentos totalizam R$ 19.683.978,45.

A construção de ramais no interior do estado faz parte da política implementada pelo governador Wilson Lima para promover o desenvolvimento econômico e social dessas comunidades, facilitando a comunicação e o escoamento da produção agrícola.

Related Articles

Close