Deputada Alessandra destaca importância do programa ‘Merenda em Casa’

Na tarde desta quinta-feira (28), a deputada estadual Alessandra Campêlo (MDB) visitou a central de produção e distribuição de kits do programa ‘Merenda em Casa’, idealizado pelo Governo do Amazonas e que distribui kits de merenda escolar para mais de estudantes da rede pública estadual de ensino em Manaus e nos 61 municípios do interior.

A parlamentar foi acompanhada pelo titular da Secretaria de Estado de Educação do Amazonas (Seduc), Luis Fabian, e dos deputados Felipe Souza (Patriotas), Therezinha Ruiz (PSDB), Roberto Cidade (PV) e João Luiz (Republicanos).

Diariamente, são produzidos mais de 12 mil kits de alimentação, que incluem arroz, leite, achocolatado, macarrão, feijão, entre outros. Mais de três mil pessoas estão envolvidas no processo de produção e distribuição dos alimentos. Até o momento, 138.604 mil kits foram entregues na casa de alunos matriculados em instituições públicas estaduais da capital. A meta é entregar mais 80 mil para alcançar os mais de 220 mil estudantes concentrados apenas em Manaus.

“É um programa inédito. Nunca tinha visto algo assim, mesmo em outros estados. Dessa forma, o programa evita aglomerações e está empregando mais de três mil pessoas, além de movimentar o mercado local, porque os produtos são comprados aqui. Tem toda uma cadeia produtiva”, disse a parlamentar.

O programa estabelece que cada criança matriculada receba um kit, ou seja, caso a família possua, por exemplo, três filhos matriculados, cada um receberá um kit de alimentação. No interior, que concentra 224.084 alunos na rede pública, os kits são entregues nas escolas. Até agora, mais de oito mil já foram distribuídos. Em municípios mais distantes, como Benjamin Constant e Tabatinga, a entrega desses alimentos será feita via fluvial.

CPI da Saúde

Durante a sessão virtual da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), a deputada afirmou que não seria suplente da Comissão de Inquérito Parlamentar (CPI) da Saúde, vaga para a qual foi indicada pelo deputado Dr. Gomes (PSC) e designada pelo presidente da Comissão, deputado Delegado Péricles (PSL), na última quarta-feira (27).

Na sequência, a parlamentar afirmou que vai manter a ação na Justiça para que a CPI aconteça da forma correta e ressaltou que a ação não é para barrar o trabalho da comissão, e sim impedir que seja derrubada por ilegalidades. Na última quarta-feira, a parlamentar encaminhou uma petição ao desembargador João Mauro Bessa, onde informou o descumprimento da decisão judicial que determinava a suspensão imediata dos atos de designação dos membros, instalação e nomeação do presidente da CPI.

“Não sei qual foi o critério usado para a escolha da suplência, nem em qual artigo do regimento foi baseado. Não vou participar de uma CPI que infelizmente tem sido usado por terceiros como uma disputa de poder em plena pandemia. Minha ação na Justiça permanece para que seja feita da forma correta. A ação não é para derrubar, é apenas para que aconteça do ponto de vista legal. Após o estabelecimento da legalidade, farei as tentativas possíveis para ser uma das pessoas indicadas. Não vou servir ao oportunismo”, disse.

PORTAL DO AMAZONAS.COM

Redação (92) 3877-4539 contato@portaldoamazonas.com / socorromaia@portaldoamazonas.com/
Close