Centro Especializado em Reabilitação da Policlínica Codajás amplia serviços e passa a atender pessoas com autismo

O CER IV é o primeiro habilitado em quatro modalidades no Amazonas e abrange usuários com Transtorno do Espectro Autista e outros módulos intelectuais

O Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), implantou o novo Centro Especializado em Reabilitação (CER) tipo IV na Policlínica Codajás, nesta quinta-feira (30/06). Com a entrega do serviço, o local passa a ser o centro de referência no Amazonas voltado ao atendimento à pessoa com Transtorno do Espectro Autista (TEA) e outras deficiências intelectuais.

“A partir da deficiência que nós temos para atendimento das crianças e adultos com algum tipo de deficiência intelectual, resolvemos habilitar o Centro de Reabilitação como CER IV e foi o melhor passo que nós demos. Essa foi uma determinação do governador Wilson Lima, com quem todos podem contar sempre”, destacou o secretário de Estado de Saúde, Anoar Samad.

A nova modalidade atenderá o público infantil e adulto e conta com uma equipe multiprofissional composta por psicólogos, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, educadores físicos, pedagogos, assistentes sociais, nutricionistas, enfermeiras, psiquiatras, neurologistas, entre outros profissionais de saúde.

Os serviços ofertados para a modalidade intelectual seguem um projeto terapêutico direcionado à funcionalidade, cognição, linguagem, sociabilidade e ao desempenho de habilidades necessárias para pessoas com deficiência intelectual e com TEA.

O CER de tipologia IV qualifica a Policlínica Codajás como um Centro Integrado de Inclusão para pessoas com esses tipos de transtornos e é o primeiro habilitado em quatro modalidades no Estado. Neste ano, de janeiro a maio, o centro de reabilitação da policlínica realizou 26,7 mil atendimentos.

Totalmente revitalizado, o Centro Especializado em Reabilitação foi reinaugurado pelo governador Wilson Lima em abril deste ano. A obra foi realizada pela Secretaria de Estado de Infraestrutura e Região Metropolitana de Manaus (Seinfra), com investimento total de R$ 1,8 milhão. A construção estava suspensa desde 2015 e, por ordem do governador, foi retomada em maio de 2021. Durante cerca de sete anos, os atendimentos eram realizados em um ambiente provisório na policlínica.

Estrutura e assistência

A ampliação dos serviços ocorreu a partir de um estudo técnico realizado das necessidades da Rede de Atenção da Pessoa com Deficiência, em que foi observada a carência do atendimento, incluindo avaliação e reabilitação à pessoa com deficiência intelectual. São identificados, no Amazonas, 38.671 pessoas com essa condição, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Os profissionais irão empregar múltiplos tipos de terapia a partir da nova ambiência, usufruindo da sala de treino de Orientação e Mobilidade, salas de terapia em grupo, Práticas Educativas de Vida Independente, jardim sensorial, horta terapêutica e amplo ginásio com diversos espaços de atendimento. Os espaços foram adaptados com cheiros e texturas diferentes para estimular os sentidos remanescentes dos pacientes.

Técnicas como Análise Comportamental Aplicada (ABA), Pistas para a organização dos pontos fonéticos oro musculares (PROMPT), Sistema de Comunicação por Troca de Imagens (PECS), Programa de Avaliação e Colocação de Marcos do Comportamento Verbal (VB – MAPP), Gestão do Comportamento Inapropriado, Método Denver e Modelo Jasper serão aplicados por profissionais qualificados no centro de reabilitação.

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Cristiane Britto, esteve presente na inauguração do CER e ressaltou a importância do acolhimento, principalmente, das mães de crianças diagnosticadas com algum transtorno.

“Nós temos uma prioridade no Mães do Brasil. Um dos eixos do programa Mães do Brasil é que o programa vem para cuidar da mulher mãe.  Em nenhum momento neste governo, quando a gente assumiu, não tinha nenhuma pasta que cuidasse da mulher mãe. Uma prioridade nossa foi criar um programa que tivesse esse olhar, e um dos eixos do programa é cuidar das mães que nós chamamos de mães atípicas”, afirmou.

Atendimento

Para o início do tratamento e o diagnóstico no Sistema Único de Saúde (SUS), é necessário que o usuário possua um encaminhamento de uma Unidade Básica de Saúde (UBS) ou da rede estadual de saúde para que seja direcionado, via Sistema Nacional de Regulação (Sisreg), ao Centro Especializado de Reabilitação na policlínica.

TEA

O Transtorno do Espectro Autista (TEA) ocorre quando há alterações significativas no funcionamento intelectual ou do comportamento humano, com manifestação antes dos 18 anos e limitações associadas a duas ou mais áreas de habilidades adaptativas: comunicação, cuidado pessoal, habilidades sociais, saúde e segurança, habilidades acadêmicas, lazer e trabalho.

Related Articles

Check Also

Close
Close