Aumento da produção de pós-larvas em Balbina impulsiona piscicultura no Amazonas

O Governo do Amazonas vai ampliar, neste ano, a produção de alevinos das espécies de peixe Tambaqui, Matrinxã e Pirapitinga nas unidades de produção localizadas em 40 municípios do Estado. A ampliação será resultado da produção estimada em 22 milhões de pós-larvas, que devem resultar em 12 milhões de alevinos das espécies, a partir das técnicas de reprodução desenvolvidas no Centro de Tecnologia, Treinamento e Produção de Balbina (CTTPA), localizado em Presidente Figueiredo (a 107 quilômetros de Manaus).

Foto: Roberto Carlo/Agecom
Foto: Roberto Carlo/Agecom

Mais de três mil famílias que vivem da piscicultura deverão ser beneficiadas no Estado. O CTTPA emprega processos eficazes na transformação de pós-larvas em alevinos, no manejo nutricional e melhoramento genético dos peixes, estocagem, alimentação e acompanhamento do ciclo de vida das espécies e distribui pós-larvas para 14 Unidades de Produção de Alevinos (UPAS) no interior do Estado e em mais 26 unidades de produção de alevinos em organizações de produtores.

As UPAS são coordenadas pela Sepror e contam com a participação de técnicos e produtores qualificados para transformação da pós-larvas em alevinos. Até o ano passado, 35 municípios eram atendidos com o pós-larva do CTTPA. Neste ano serão 40 municípios. No centro de Balbina é feita a extrusão que consiste na coleta individual de sêmen de peixes machos e ovos de peixes fêmeas. Em seguida é feita a mistura do sêmen do macho com os ovos do peixe fêmea para a fecundação/produção de ovos e pós-larvas.

No local, há 34 incubadoras de até 200 litros para armazenar as larvas e pós-larvas produzidas, bem como 34 viveiros apropriados para os peixes nas diferentes fases de vida, desde a pós-larvas a reprodutores.

 

PORTAL DO AMAZONAS.COM

Redação (92) 3877-4538 contato@portaldoamazonas.com

Related Articles

Check Also

Close
Close