Audiência Pública discute turismo e aponta principais dificuldades do segmento

A Comissão de Turismo e Empreendimento da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) realizou na manhã desta segunda-feira (28), uma Audiência Pública pela passagem do Dia do Turismo, no Plenário Ruy Araújo, com a participação de associações ligadas à categoria, órgãos estaduais de incentivo ao turismo, turismólogos e acadêmicos de instituições de ensino.

AUDIENCIA

O presidente da Comissão de Turismo e propositor da Audiência, deputado estadual Francisco Souza (PSC), explicou que a ideia foi propor uma comemoração diferente, com debates sobre o tema. “Optamos por uma audiência para unir a categoria e os órgãos estaduais e poder discutir a atuação do turismo bem como seu potencial no Amazonas. Assim, junto com os autores do turismo, podemos identificar onde deve ser investido e o que precisa ser melhorado”, afirmou.

Márcia Raquel Guimarães, turismóloga e professora da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) destacou a necessidade de maior acesso dos turismólogos ao Plano Estadual de Turismo. “Precisamos de planejamento, de profissionalismo no turismo. O plano já existe, mas não temos acesso aos resultados: o que foi alcançado, quanto foi investido. Só podemos pensar no novo olhando para o antigo”, afirmou. Da mesma forma, a professora Glaubécia Teixeira, relatou a dificuldade de acesso aos números e avaliação do Plano.

A representante da Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (AmazonasTur), Raquel Vieira, apontou as ações do órgão em prol do turismo amazonense. “Estamos refazendo o Plano Estadual de Turismo, em conformidade com a Lei Estadual de Turismo e a partir destes instrumentos poderemos alinhar algumas ações ainda necessárias e em breve apresentaremos à população”, anunciou.

Alguns entraves sofridos pela categoria do turismo foram apresentados durante o evento, como os elevados preços das passagens aéreas e o desemprego nas agências de turismo com o acesso à internet. Sebastião Deive Couto Braga, presidente do Sindicato dos Empregados de Turismo e Hospitalidade do Amazonas (Sinetheam) explicou como a popularização da internet tem prejudicado o segmento das agências.

“Estamos travando uma luta desigual na área de turismo porque as pessoas não procuram mais as agências de turismo e viagens para comprar passagens aéreas por conta das promoções pela internet. A compra pela internet está desempregando pessoas e destruindo as famílias dos funcionários das agências. Precisamos de uma ferramenta para preservar o emprego destes trabalhadores”, destacou.

O alto preço das passagens aéreas para o Amazonas foi outro ponto amplamente ressaltado pelos participantes. O diretor de Turismo da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), João Araújo, classificou os preços como impraticáveis. “O preço das passagens aéreas dificulta muito o turismo. As políticas públicas não são suficientes para convencerem as companhias aéreas a fomentar o turismo. Só com uma discussão sobre estes valores é que podemos pensar em uma maior visitação”, apontou.

Já Socorro Rocha, representante da Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav) afirmou a mudança no cenário por parte dos futuros turismólogos. “É importante que vocês estudantes da academia de turismo não fiquem paralisados, mas saim dos muros da universidade e seja externada sua opinião, provocando uma mudança no turismo amazonense”, afirmou.

PORTAL DO AMAZONAS.COM

REDAÇÃO- (92) 3877-4539 contato@portaldoamazonas.com / socorromaia@portaldoamazonas.com/danielmanauara@portaldoamazonas.com

Related Articles

Check Also

Close
Close