Acadêmicos dão abraço simbólico no Igarapé do Mindu em homenagem ao Dia Mundial da Água

Acadêmicos de diversas instituições de ensino superior promoveram na manhã de domingo, 20, um abraço simbólico no Igarapé do Mindu, no trecho que corta o Parque Municipal do Mindu, como forma de marcar as atividades em homenagem ao Dia Mundial da Água, comemorado na próxima terça-feira, 22.

agua

A estimativa é de que pelo menos 350 pessoas tenham participado do evento, que acontece há dois anos na cidade, desde a criação do Movimento Abraço Simbólico aos Igarapés. O objetivo do movimento é sensibilizar a sociedade para a responsabilidade de cada um sobre a conservação dos cursos d’água. Em 2015, o evento ocorreu no Igarapé de Manaus, com 250 participantes.

A ideia deste ano foi a de promover o abraço ao Mindu em dois momentos diferentes: o primeiro no Parque Municipal do Mindu, ocorrido neste domingo, com a finalidade de chamar a atenção para os impactos que o maior igarapé da cidade sofre com os resíduos lançados a montante e que são trazidos pelas chuvas oriundos de várias partes da cidade. E a segunda, nas nascentes situadas na Cidade de Deus, Zona Leste.

Participam do movimento estudantes, professores e pesquisadores da Comissão de Direitos de Águas da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-AM), Grupo de Estudo dos Direitos das Águas (Geda), do Mestrado em Direito Ambiental da Universidade do Estado do Amazoans (UEA), Programa de Pós-Graduação do Mestrado em Geografia da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Ulbra, Uninorte, Instituto Amazônico de Cidadania (Iaci), Movimento Educar para a Cidadania, Ministério Público Federal Ambiental e Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam).

A iniciativa de criação do movimento é do curso de Turismo da UEA. A professora Helen Rita Coutinho, coordenadora do curso de Turismo da Uninorte, explicou que o abraço nada mais é do que uma forma de sensibilizar. “As pessoas costumam visitar os locais, como parques e praças, e só enxergar o que lhes interessam, o que é bonito para elas, enquanto que os problemas são atribuídos sempre aos outros. Com o abraço simbólico, elas passam a se sentir responsáveis e estimuladas a ajudar num processo de mudança”, afirmou.

Os participantes do projeto foram recebidos pelo secretário municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Itamar de Oliveira Mar, que destacou à disposição da Semmas em abrir as portas das unidades de conservação municipais para as instituições de ensino e pesquisa. “É muito importante contar com a parceria dos acadêmicos e pesquisadores, nesse processo de sensibilização e mudança de comportamento da sociedade”, afirmou.

PORTAL DO AMAZONAS.COM

Redação (92) 3877-4538 contato@portaldoamazonas.com
Close