MANAUS, 23/05/18 VEREADOR WILKER BARRETO (PHS) PRESIDENTE DA CAMARA MUNICIPAL DE MANAUS. FOTO: ROBERVALDO ROCHA / CMM

O presidente da Câmara Municipal de Manaus (CMM), Wilker Barreto (PHS) manifestou repúdio à paralisação promovida pelo Sindicato dos Rodoviários, nesta terça-feira (29), na capital amazonense. “Eu não defendo categoria. Meu mandato é da cidade de Manaus. Não podemos colocar um segmento à frente do coletivo”, disse o parlamentar em pronunciamento na Tribuna da Casa.

Para Barreto, a paralisação coordenada pelo sindicato é irresponsável e coloca em xeque uma cidade. “Se é pra aumentar salário, temos obrigação de rever custos. O aumento de tarifa só cai no bolso do usuário. Temos que rever gastos. Se possível, cortar. Precisamos de um sistema desonerado”, reforçou.

O parlamentar lamentou, ainda, a falta de diálogo por parte do Sindicato dos Rodoviários com a Câmara. “Eu vejo uma categoria que não conversa com a população. Estou presidente há quatro anos e nunca recebi o Sindicato dos Rodoviários pedindo para que essa Casa mediasse a problemática. Claramente existe envolvimento político. Ou é muita coincidência que meses antes das eleições os líderes queiram se colocar como pró-ativos para suas categorias em detrimento ao espírito público?”, protestou.

Barreto questionou, ainda, o pagamento real das multas. “Quando o cidadão de bem deixa de recolher impostos, o fiscal vai ´no cheiro´. Mas eu vejo o tempo todo: multa de R$50 mil, R$100mil. Será que essas multas são pagas realmente? Porque eu não acredito que alguém consiga aguentar pagar R$50mil por dia de multa. Peço rigor na cobrança dessas punições e reforço: A Câmara está aberta para que o sindicato venha aqui. Aqui estão os reais representantes do povo”, concluiu.

COMPARTILHAR