Maués é um município brasileiro no interior do estado do Amazonas. Pertencente à Mesorregião do Centro Amazonense e Microrregião de Parintins, sua população é de 61 110 habitantes, de acordo com estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2016.A cidade é reconhecida nacionalmente por possuir uma das maiores expectativas de vida do país.

História

Na margem direita do Rio Maués-Açu foi fundada, em 1798, por Luiz Pereira da Cruz e José Rodrigues Preto, à distância de 268 km, em linha reta, e 356 km, pela via fluvial, de Manaus, e são datas festivas municipais em homenagem à São Sebastião (10 a 20 de janeiro), ao Divino Espírito Santo (22 a 30 de maio), à São Pedro (27 a 30 de junho), à padroeira Nossa Senhora da Conceição (01 a 8 de dezembro), assim como a Festa do Carnaval Popular (21 a 24 de fevereiro), do aniversário do município (26 a 27 de junho), da Ilha de Vera Cruz (23 a 25 de julho), do Verão (de 05 a 7 de setembro), da Feira Industrial (06 a 8 de novembro), e do Guaraná (em novembro).

 

Inicialmente, foi denominada Luseia, e progredindo com o tempo transformou-se em missão carmelita, com nome de Maués. O líder, nessa época, foi o frei Joaquim de Santa Luzia.

Por um decreto de 25 de junho de 1833 a missão foi considerada vila, sob a invocação de Nossa Senhora da Conceição de Luseia.

Em 1853, pela lei nº 25 de 3 de dezembro, da iniciativa do Deputado Marcos Antônio Rodrigues de Souza, a vila tornou-se cidade, chamada São Marcos de Mundurucânia.

Consta como uma das freguesias da província, denominada Maués, em 1958.

O Deputado José Bernardo Michiles, em 1865, apresentou projeto, tendo sido aprovado, pela mudança do nome de Maués para Conceição.

Enfim, já na República, em 1895, pela lei nº 133 de 5 de outubro, a localidade torna-se Comarca. E em 4 de maio de 1896 é considerado município pelo novo regime jurídico, com o nome de Maués, pela lei nº 137.

Economia

Até hoje a economia do município gira, principalmente, em torno da cultura do guaraná. O município exporta cerca de 300 toneladas por ano. O município também produz em pequena escala outras culturas como: milho, feijão, melancia, pupunha, limão, cupuaçu, entre outros. Pecuária, avicultura e pescado também têm impacto significativo na economia.

Turismo

O turismo é um setor econômico com grandes possibilidades de desenvolvimento no município pela existência privilegiada de inúmeras áreas de belezas naturais, como corredeiras, cachoeiras, grutas, reservas indígenas, reservas de desenvolvimento sustentável, praias etc.

São cerca de 2.400 metros de área de balneabilidade que abrange as duas principais praias: Antártica e Maresia. A Maresia é a mais conhecida, pois todos os anos é lá que acontece a tradicional Festa do Guaraná no fim do mês de novembro, atraindo milhares de turistas para o município.

Praias

Ilha de Vera Cruz – Ilha situada em frente de Maués (10 minutos de voadeira). Apresenta extensas praias de areias brancas assim como formações rochosas reveladas na época de vazante. Os moradores dessa área são os maiores produtores de farinha e mandioca do município. Na ilha possui um dos sítio arqueológicos de Mau´s.

Praia da Ponta da Maresia/ Praia da Antártica – juntas formam uma área de balneabilidade de cerca de 2.400 metros.

Principais festas

Carnaval – Maués Folia (em fevereiro)

Festa do Divino Espírito Santo (31 de maio a 08 de junho)

Aniversário de Maués (25 de junho)

Festival Folclórico da Ilha de Vera Cruz (julho)

Festival de Verão (setembro)

Festa do Guaraná (novembro/dezembro)

A Lenda do Guaraná

A Lenda do Guaraná nasce justamente da disputa entre as tribos Mundurucu e Mawé. Ceraçaporanga, que era considerada a índia mais bela dos Mawé, se apaixona por um guerreiro da tribo rival e foge com ele, sendo perseguida por sua família e os índios de sua tribo. Temendo a morte do amor de sua vida, Ceraçaporanga ajoelha e pede aos céus que tenha pena dos dois e não os separe. Tupã atinge e mata os amantes com um raio. No local, nasce o fruto guaraná.

Longevidade

Pesquisas feitas em Maués indicam que o guaraná pode contribuir para a maior longevidade dos idosos. Grande parte da população costuma misturar o pó de guaraná com água e açúcar para ter mais disposição durante o dia. Hábito que vem dos índios da região que há muito tempo fazem a bebida para ter energia para caçar e cuidar dos afazeres diários. O que estes índios descobriram há muito tempo tem sido estudado nos últimos anos. Muitas pesquisas são feitas com guaraná para dar crédito científico ao que a sabedoria popular apregoa. É antioxidante, energético, afrodisíaco, tira a fome e é considerado parte do que garante longevidade aos moradores da região amazônica, principalmente a cidade de Maués.

Clima/temperatura

Tropical chuvoso, com temperatura média de 28ºC e variações entre 26º C (mínima) e 32º (máxima).

Como chegar

Você pode vir a Maués de barco, ajato ou avião. A distância para Manaus é de 267 km em linha reta ou equivalente 45 minutos por via aérea, e 356km por via fluvial, cerca de 16 a 18horas de barco-recreio.

Confira a escala de barcos que saem de Manaus rumo a Maués

Segunda: Layde Cristina, às 16h, responsável:  Jackson. Contato 99116-9274/99303-8994

Terça: PP MAUÉS III, às 17h. Contato Paula: 99478-8669

Quarta: PP MAUÉS II, 17h, Contato Henrique: 99176-6405

Quinta: PP MAUÉS I, às 17h. Contato Cristina, 99478-8669

Sexta: N/M LEYDE CRISTINA, às 17h. Contato: Cristina: 99298-9191/99995-4052

Sexta: N/M IZABEL, 17h, Contato: Dinelson/Alcimara 99130-7233/99151-7907

Sábado: Estrela PP, as 12h. Contato Paula 99478-8669

Domingo: PP MAUES I, às 12h, contato Paula 99478-8669

 

 

COMPARTILHAR