Donata Meirelles, diretora de estilo da edição brasileira da Vogue, celebrou seu aniversário de 50 anos com um festão em Salvador, na Bahia. A celebração aconteceu no Palácio da Aclamação e muitos internautas que viram as fotos rodarem a web estão acusado a socialite de racismo.

A festa tinha mulheres negras, usando vestidos brancos e turbantes, como modelos. Os convidados podiam tirar fotos ao lado delas, sentados em uma cadeira branca, que remetia ao mobiliário das fazendas de coronéis. “A decoração da sua festa foi Brasil Colônia Escravocrata, com direito a mulheres pretas vestidas de mucama ambientando a festa e recebendo os convidados, como vimos na foto até o trono da sinhá tinha”, escreveu a rapper Joyce Fernandes, conhecida como Preta-Rara, no Facebook.

A repercussão foi tanta, que Donata decidiu fazer um “pedido de desculpas” no Instagram. “Ontem comemorei meus 50 anos em Salvador, cidade de meu marido e que tanto amo. Não era uma festa temática. Como era sexta-feira e a festa foi na Bahia, muitos convidados e o receptivo estavam de branco, como reza a tradição. Mas vale também esclarecer: nas fotos publicadas, a cadeira não era uma cadeira de Sinhá, e sim de candomblé, e as roupas não eram de mucama, mas trajes de baiana de festa”, quis se explicar.

“Ainda assim, se causamos uma impressão diferente dessa, peço desculpas. Respeito a Bahia, sua cultura e suas tradições, assim como as baianas, que são Patrimônio Imaterial desta terra que também considero minha e que recebem com tanto carinho os visitantes no aeroporto, nas ruas e nas festas. Mas, como dizia Juscelino, com erro não há compromisso e, como diz o samba, perdão foi feito para pedir”, completou.

Apesar disso, Donata recebeu apoio de muitas celebridades, como Preta Gil, Fernanda Motta, Marina Morena, Adriane Galisteu, entre outros. Muitos seguidores ficaram irritados com a “indignação seletiva” de alguns nomes.

 

COMPARTILHAR