Educadores da rede pública recebem formação sobre Novo Ensino Médio

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc-AM), por meio do Programa de Fomento às Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral (Proeti), lançou nesta sexta-feira (16/08) a formação continuada “O Novo Ensino Médio: Flexibilização Curricular e as Novas Formas de Aprender”. A atividade, que seguirá até o dia 30 de agosto, é voltada a pedagogos, professores e gestores das Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral, e visa ampliar as práticas pedagógicas desses profissionais, conforme os componentes flexíveis do Novo Ensino Médio.

O lançamento contou com palestra do professor Alexsandro do Nascimento Santos, doutor pela Universidade de São Paulo (USP), e foi transmitido via Centro de Mídias de Educação do Amazonas (Cemeam) para 13 municípios do interior do Estado: Itacoatiara, Parintins, Beruri, Humaitá, Presidente Figueiredo, Borba, Maués, Barreirinha, Nhamundá, Manicoré, Anori e Novo Airão.

Ao todo, 23 unidades de ensino em tempo integral e 642 profissionais da educação participam da atividade, ao longo das próximas duas semanas. A formação continuada acontecerá por meio de oficinas e palestras, de segunda a sexta-feira, sempre das 8h ao meio-dia e das 13h às 17h, na Faculdade Boas Novas e na Escola Estadual Senador Petrônio Portela, localizada na rua Bartolomeu Bueno da Silva, s/nº, Dom Pedro 2.

Durante o lançamento, o secretário executivo adjunto pedagógico da Seduc-AM, Raimundo Barradas, falou da importância da mudança no Ensino Médio para a Educação no Brasil, lembrando que “nenhum processo de reinvenção é fácil”. “Já há algum tempo que o Ensino Médio busca uma renovação, uma nova trilha. Esse processo de inovação não é algo fácil, mas tenho certeza que, se sonharmos e trabalharmos juntos, começaremos a construir uma nova proposta [de Educação] para o Amazonas”, acrescentou Barradas.

De acordo com a coordenadora geral das Escolas em Tempo Integral da Seduc-AM, Antônia de Godoy, a atividade era aguardada pelos professores desde 2017 – quando foi implantado o Proeti nas unidades de ensino. “Somente agora, na gestão do secretário Luiz Castro, foi possível realizá-la. Será um grande avanço, pois, na atualidade, o Novo Ensino Médio recomenda uma educação básica de forma integral, além de defender o protagonismo dos nossos estudantes”, destacou a coordenadora.

Para a gestora da Escola Estadual Senador João Bosco, Roquilene Ocampo, os profissionais de Educação do Amazonas precisam se familiarizar, o quanto antes, com o Novo Ensino Médio. “É importante que nós mudemos a nossa mentalidade e a nossa visão diante dessas mudanças, para que então façamos acontecer, de fato, a flexibilização curricular e as novas formas de aprender e ensinar”, reforçou Roquilene.

Já Anne Paula Silveira da Silva, gestora da Escola Estadual Frei Mário Monacelli, afirma que é essencial que professores e pedagogos se apropriem das ideias propostas pelo Novo Ensino Médio – dentro de sua área de conhecimento. “Precisamos dominar essas mudanças que serão desenvolvidas. Somente assim teremos êxito nessa extensa caminhada”, completou Anne.

Componentes – A formação continuada será pautada em sete componentes flexíveis do Novo Ensino Médio. São eles: Projeto de Vida e Empreendedorismo, Raciocínio Lógico e Resolução de Problemas, Fruição das Artes, Prática do Desporto, Metodologia do Estudo, Preparação Acadêmica e Língua Inglesa.

Ao final da programação, os participantes que obtiverem o mínimo de 90% de frequência receberão um certificado pela formação. “Esses profissionais estão trabalhando por quase três anos sem nenhuma atividade de formação que os oriente sobre esses componentes. Essas duas semanas [de atividades] vêm para atender uma necessidade”, destacou Antônia de Godoy.

Interior – Dos 642 profissionais que participam da formação continuada “O Novo Ensino Médio: Flexibilização Curricular e as Novas Formas de Aprender”, 322 são do interior do Amazonas. Eles chegarão a Manaus no domingo (18/03) para participar da programação. Durante a sua estadia na capital, os profissionais receberão hospedagem, alimentação e transporte.

Aulas normais – Segundo Antônia de Godoy, as aulas nas escolas que participam da formação continuada seguirão normalmente. “Para não prejudicarmos nossos alunos, os professores que comparecerem à primeira semana de atividades não participam da segunda [semana]. Também estamos orientando as unidades de ensino em tempo integral a criarem um banco de atividades para que as aulas não sejam paralisadas”, finalizou.

Close