Alunos da zona norte executam experiências científicas com materiais de baixo custo

A segunda seletiva das Etapas Distritais do 4º “Circuito de Experimentos de Baixo Custo” (Cebac) aconteceu nesta terça-feira (08/10), na Escola Estadual Júlio César, na zona norte de Manaus. A ação reuniu trabalhos e projetos científicos inscritos sob a Coordenadoria Distrital de Educação (CDE) 06. Ao longo deste mês, serão realizadas, ainda, outras cinco seletivas em Manaus para a grande final, que acontece entre 22 e 29 de novembro.

Promovido pela Seduc-AM desde 2016, o Cebac tem como objetivo incentivar o desenvolvimento de experimentos de baixo custo de Ciências da Natureza utilizando materiais alternativos, despertando, assim, o interesse científico e a criatividade dos estudantes da rede pública do Amazonas. Neste ano, o Circuito contou com mais de 230 projetos inscritos nas Etapas Distritais.

Os alunos Lucas Eduardo e Clara Vitória, foram os vencedores na categoria 4. A dupla, que cursa o 9º ano na Escola Estadual Belarmino Marreiro, reproduziram “pasta de dente de elefante”. Os materiais utilizados foram: corante líquido, detergente de lavar louça, água oxigenada concentrada, iodeto de potássio.

A “pasta de dente de elefante” é um experimento, fruto da velocidade de uma reação química, conforme a Cinética Química. A experiência é feita com o uso de catalisadores, que são substâncias capazes de aumentar a velocidade com que uma reação química ocorre, sem participar como reagente.

De acordo com a Clara Vitória, foi uma grande oportunidade de mostrar o conteúdo desenvolvido em sala. “Nós não achávamos que poderíamos vencer esta etapa, porém com auxílio da nossa professora-orientadora nós vencemos e pudemos mostrar um pouco da nossa experiência fora dos muros da escola”, relata.

Lucas Eduardo, parceiro de Clara no experimento, falou também do desejo de continuar aprimorando os experimentos. “Eu gosto de bastante de trabalhar nestas experiências, por isso quero continuar me aprofundando cada vez mais nessa área”, disse.

Incentivo – A professora-orientadora dos dois projetos, Deborah Patrícia da Cunha Rodrigues, fala sobre o orgulho de poder direcionar os estudantes nesse desafio. “Dentro das minhas atividades anuais, eu sempre enfatizo que teremos várias aulas em laboratório. Enquanto educadora, acredito que a ciência é prática. Chegar à final desta disputa é o reflexo das atividades que realizamos em sala de aula. Além de orgulhosa, eu fiquei emocionada e eles nervosos, pois abraçaram a oportunidade de irem além dos muros da escol”, disse.

Ela destaca, ainda, a importância de ter alunos do Projeto Avançar entre os finalistas. “O Projeto Avançar busca atender estudantes para que alcancem a idade-série correta na escola, por isso muitas vezes encontramos alguns alunos indisciplinados. Poder ver dois alunos vencendo esta etapa é mais uma prova que não podemos desistir dos nossos jovens”, destaca.

Classificaram-se ainda para a Etapa Final do Cebac: Fernando Henrique Nogueira Fernandes e Isaías Miranda Gaia, que apresentaram o experimento “Camaleão Químico”, que demonstra como ocorre alteração do número de oxidação (NOX) em decorrência de uma oxidação ou redução.

Os materiais usados para o experimento Camaleão Químico foram: água; comprimidos ou flaconetes contendo permanganato de potássio; hidróxido de sódio ou soda cáustica (cerca de 80 gramas); açúcar (cerca de 40 gramas) e pincel atômico.

Etapas – O Cebac é dividido em três etapas: a primeira foi o lançamento, que aconteceu em agosto, e consistiu na realização dos experimentos nas próprias escolas. De 1º a 31 de outubro, a segunda fase selecionará as melhores invenções no nível distrital/regional. Por fim, de 22 a 29 de novembro, serão escolhidos os grandes campeões da quarta edição do Cebac. Os vencedores serão agraciados com troféus, medalhas e certificados de participação.

Close