Wilson Lima anuncia investimento de R$ 5 milhões na recuperação de ramais e estradas vicinais

O governador Wilson Lima anunciou, nesta segunda-feira (20/01), em Humaitá (a 695 quilômetros de Manaus), o programa “SOS Vicinal”, que prevê um investimento de R$ 5 milhões na recuperação de trechos de ramais de municípios do sul do Amazonas, além de garantir a retomada das obras do Anel Viário de Humaitá. As obras irão melhorar o transporte da produção agrícola e o desenvolvimento econômico da região. Além disso, o governador acompanhou a colheita de soja no município, inaugurou um frigorífico e entregou implementos para associações e certificados para produtores rurais da região.

“Nós estamos disponibilizando para o sul do Amazonas R$ 5 milhões, por meio do ‘SOS Vicinal’. Nós vamos fazer a correção de alguns trechos de ramais, de vicinais onde há produção agrícola e atividade pecuária, corrigir uma ladeira, uma ‘costela de vaca’, trocar uma ponte, dar condições de trafegabilidade para essas vias, para facilitar a vida de quem está produzindo aqui”, ressaltou Wilson Lima.  

O governador frisou que a obra do Anel Viário de Humaitá será fundamental para impulsionar o desenvolvimento econômico da região. “O Anel Viário vai ser importante porque ele faz com que os veículos pesados não entrem na cidade e, quando chegarem da rodovia, já tenham um destino certo para o porto. É uma obra de infraestrutura importantíssima, já visando esse aumento significativo de transporte de grãos e de animais”, destacou Wilson Lima.

Ao desviar do perímetro urbano de Humaitá o tráfego de veículos pesados que transportam soja pela BR-319 (Manaus-Porto Velho) e pela BR-230 (Rodovia Transamazônica), a obra incentiva a produção agrícola e possibilita rapidez ao escoamento da produção. A intervenção terá 11,58 quilômetros e interligará a BR-319 ao porto graneleiro da cidade. O projeto contempla a realização de serviços de terraplanagem, meio-fio, sarjeta, galerias, bueiros, dissipadores de energia, acostamento, compactação e pavimentação, bem como sinalização vertical e horizontal.

Produção de soja – Ainda em Humaitá, Wilson Lima participou da demonstração da colheita de soja na fazenda Santa Rita. De acordo com o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas (Idam), a Safra 2018/2019 em Humaitá teve área plantada de 1.800 hectares e produção de 51 sacas/ha. Já a safra 2019/2020 teve área plantada de 2.300 hectares e expectativa de produção de 55 sacas/ha.

“Essa é uma região diferente. É um bioma que tem campos naturais, que já tem áreas antropizadas, suficientes para que a gente possa produzir grãos, produzir açaí, criar bois de forma sustentável, ter a piscicultura forte. Porque onde tem o plantio, a produção de grãos, você tem também as atividades produtivas consorciadas”, observou o titular da Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror), Petrúcio de Magalhães Júnior.

O Idam local acompanha os produtores para a legalização ambiental e emissão de Carteira do Produtor, para que eles tenham acesso aos incentivos que a carteira oferece, como descontos na aquisição de insumos.

Frigorífico – O governador Wilson Lima também inaugurou o Frigorífico Amazonas, empreendimento certificado pelo Serviço de Inspeção Estadual (SIE), concedido pela Sepror, por meio da Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf).

Com 20.730 cabeças de gado, Humaitá destaca-se como a 12ª maior em rebanho no Amazonas, segundo dados do Idam. O município, que já possui dois abatedouros, agora tem o primeiro frigorifico com o SIE instalado. Com isto, abrirá o mercado para o escoamento de produtos para todo o Amazonas, item importante, já que cerca de 30% da carne consumida no Estado é de origem da produção local, segundo dados do Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável da Amazônia (IDFESAM).

“O sul do Amazonas é uma área de grande desenvolvimento econômico. Inclusive agora, nos próximos meses, nós estamos incluindo no bloco I (junto ao Ministério da Agricultura) para ficar livre da vacinação de febre aftosa, o que dá condição para o nosso pecuarista exportar seu produto para outras partes do país e do mundo, inclusive para a China e para a Europa, que são os dois mercados consumidores”, enfatizou Wilson Lima.

A capacidade de produção do abatedouro inaugurado é de 300 bois por dia, o que representará a produção de 76.500 quilos/dia de carne inspecionada para a população amazonense. A instalação do Serviço de Inspeção Estadual (SIE) no Frigorífico Amazonas, em Humaitá, é estratégica, uma vez que ocorre próximo a fornecedores de insumos para pecuária e também dos maiores rebanhos do Amazonas (Apuí, Lábrea e Matupí), além de fazer divisa com um dos estados que mais cresce na pecuária, Rondônia.

Certificação de pecuaristas – Também em Humaitá, foram certificados pecuaristas que aderiram aos projetos “Mais Carne” e “Mais Leite”, executados pela Sepror, por meio do Idam, Adaf e ADS. O programa levou técnicos do Sistema Sepror para mais próximo do produtor, a fim de conhecer suas dificuldades e orientar para que produzam mais e melhor. Eles tiveram maior acesso às tecnologias, como melhoramento genético do rebanho e da pastagem, o que pode estimular produtores e pecuaristas locais a produzir o chamado “boi a pasto” de forma sustentável.

Entrega de implementos – Por meio do Fundo de Promoção Social e Erradicação da Pobreza (FPS), foram entregues implementos para cinco associações de Humaitá – sendo três do setor primário e duas do social – com implementos agrícolas e materiais de consumo, totalizando investimento de R$ 834.104,50.

No setor primário, a ação beneficiou 134 famílias diretamente e 670 pessoas indiretamente, de três associações, que receberam cheques simbólicos totalizando R$ 557.194,00. A Associação de Produtores de Hortifrutigranjeiros do Alto Crato receberá R$ 197.000,00; a Associação dos Agricultores do Parazinho (AP) recebeu R$ 191.194,00; e a Associação dos Feirantes da Agricultura Familiar de Matupi recebeu R$ 169.000,00. Os valores são destinados à aquisição de equipamentos agrícolas.

“Esse cheque que a gente recebeu é de muita importância para associação, porque vai ser para a compra de um caminhão e uma empacotadeira de polpas de frutas. É uma coisa muito importante que soma na vida do produtor da APOFAC. A gente fica muito feliz com esses recursos e esperamos que a cada ano a gente consiga uma quantidade dessas para investir no setor primário”, falou o produtor rural Fioravante Santos, presidente da Associação de Produtores de Hortifrutigranjeiros do Alto Crato.

O segmento social foi beneficiado com R$ 276.910,00 em recursos para o Clube das Mães Unidas da Olaria e para a Associação Beneficente Marcio Ramos (Amar). Juntas, as entidades abrangem 131 famílias e alcançam 524 pessoas indiretamente, promovendo prestações de serviços, cursos gratuitos, visando à inserção no mercado de trabalho e melhoria à qualidade de vida da comunidade.

Close