Único paratleta amazonense no Mundial de Halterofilismo, José Ricardo conquista broze

O amazonense José Ricardo conquistou o bronze na Copa do Mundo de Halterofilismo Paralímpico. A competição foi realizada no Rio de Janeiro (RJ), no último final de semana e serviu ainda como um evento teste para os Jogos Paralímpicos Rio 2016. O paratleta integra o seleto time do Centro de Treinamento de Alto Rendimento da Amazônia (CTARA), mantido pelo Governo do Amazonas por meio da Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel).122

FOTO – MAURO NETO

O campeonato serviu como teste e também como classificatório para os Jogos Paralímpicos do Rio. Para chegar ao evento mais importante do paradesporto, os atletas masculinos precisam estar entre os oito melhores de sua categoria no dia 29 de fevereiro, data em que a lista de classificados será definida. Para as mulheres, o objetivo é ficar entre as seis mais fortes.

Na divisão mais pesada do esporte, até 107 Kg, o paratleta amazonense, ficou próximo da busca pelo ouro, se não fossem os três quilos de diferença. “Eu levantei 177Kg. Já o primeiro colocado levantou 180 Kg”, lamentou.

José Ricardo explicou também que uma lesão no cotovelo o deixou mais distante do lugar mais alto do pódio. “Tive uma lesão no cotovelo e isso me tirou o ouro. Mas bola pra frente, agora é fazer manutenção (da lesão), para as próximas disputas. Em março ainda tenho o regional para disputar do dia 3 até o dia 6”, disse o halterofilista.

O paratleta ainda se mostrou preocupado com a lesão para a disputa do campeonato regional. Entretanto, o foco será na próxima competição classificatória para os Jogos Paralímpicos, que será realizado na Malásia. “Essa lesão pode me atrapalhar no regional, mas vou fazer fisioterapia para tentar me recuperar o mais rápido possível e daqui pra lá (dia do evento na Malásia) tenho que estar zerado, tenho que ficar pelo menos em oitavo para me classificar, tenho certeza que vai dar certo”, finalizou otimista.

Jogos Paralímpicos – O nono lugar de José Ricardo no ranking oficial dá novas motivações para o amazonense superar as adversidades e se classificar para os Jogos Paralímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. “Se eu conseguisse levantar 181kg a medalha de ouro era minha e já estava classificado para os jogos paraolímpicos. Mas vamos para a Malásia atrás dessa classificação”, concluiu.

Close