Prefeitura dobra a quantidade de área licenciada e impulsiona a construção civil

De janeiro a agosto de 2021, a Prefeitura de Manaus, por meio do  Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), acumula 935.986,53 m2 de área licenciada com alvará de construção, com uma variação de 113% em relação a 2020. Ano passado, foram 440.148,67 m2 em alvarás expedidos pela autarquia neste período.

“O prefeito David Almeida tem nos dado como diretriz de trabalho buscar transformar Manaus em uma cidade global e uma das dez melhores do Brasil para se investir. E, evidentemente, que as diretrizes passam pelo licenciamento de projetos, tanto na área urbanística, quanto tributária e ambiental. O Implurb está buscando, junto com os órgãos licenciadores, alcançarmos a meta definida pelo prefeito, em trabalho com o Conselho Municipal de Gestão Estratégica (CMGE), que alinha as ações”, afirmou o diretor-presidente do Implurb, engenheiro Carlos Valente.

Conforme os registros do Implurb, em abril a variação na metragem quadrada de área licenciada foi de 131%; em maio de 173%; junho teve 246% de alta; julho foi de 516% e, agora, 125% em agosto, o que representa mais obras, mais serviços e mais projetos em execução, todos regularizados pelo município.

Considerando os dados mais recentes, registrados no mês de agosto, em área construída foram 119.242,00 m2 agora, contra 53.055,21 m2 do ano anterior. A autarquia expediu 137 alvarás de construção no mês, quando em 2020 foram 53, o que representa alta de 169%. O Habite-se teve o registro de 62 certidões em agosto, contra 45 do ano passado, com variação de 38%.

Os números locais seguem a tendência nacional de impulsão da indústria da construção civil, que revisou a previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do setor no Brasil, de 2,5%, divulgada em abril, para 4%, citando como fatores positivos a melhora do ambiente econômico e a continuidade de pequenas obras e reformas, segundo a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic).

“Estamos reduzindo nossos prazos de licenciamento, aumentando nossa eficiência em relação ao tema e no próximo ano teremos grandes novidades para acelerar ainda mais, incentivando licenciamento e obras”, explicou Valente.

Aprovações

De acordo com a diretora de Operações (Diop) da autarquia, arquiteta e urbanista Jeane Mota, os projetos aprovados e licenças expedidas têm o objetivo de financiamentos bancários. Para ela, apesar da falta de insumos e da alta do valor do metro quadrado construído, a tendência é de crescimento ainda maior nos próximos meses em razão do cenário nacional e do clima favorável à construção civil na capital amazonense. “Estamos no verão amazônico, favorável à indústria, que deve apresentar um semestre ainda mais otimista”, afirmou.

Related Articles

Close