Policlínica Codajás recebe estudantes de fisioterapia e amplia atendimento coletivo aos usuários do SUS

A Policlínica Codajás, da Secretaria de Saúde do Estado (SES-AM), recebe, desde agosto, estudantes da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) para estágio supervisionado no setor de fisioterapia da unidade de saúde.

As aulas práticas têm o objetivo de capacitar oito graduandos na área prática profissional em fisioterapia neurológica adulta, com a supervisão dos profissionais da Policlínica Codajás: o fisioterapeuta Victor Aquino, na coordenação do setor e como preceptor dos alunos, e o professor e doutor da Ufam em Fisioterapia Neurofuncional, Pedro Baptista.

Pedro Baptista explica que é a primeira vez dos alunos em campo de estágio desde o início da pandemia, e que esta experiência contribui para a vivência deles, com pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). “Por serem estudantes, colocá-los no ambiente ideal é importante e perfeito com o suprassumo do campo. Esses ensinamentos, de forma prática, não conseguimos dar em sala de aula, e a experiência ensina eles a lidar com eventos adversos”, disse.

Além dos ensinamentos e acompanhamento, o contato dos estudantes com os profissionais da unidade contribui para que eles tenham postura e aprendam a atender pacientes neurológicos.

Para a fisioterapeuta do Policlínica Codajás, Ellen Passos, passar os conhecimentos na prática a estes alunos é gratificante, já que o setor possui uma variedade de pacientes neurológicos. “Ganhamos a experiência de estar formando outros profissionais. Não é somente eles que ganham conosco. A lição de vida, que eles nos passam, ajuda a entender a visão do outro, seja pessoal ou profissional”, enfatiza.

Atendimento – O outro lado positivo dessas consultas está relacionado ao número de profissionais, que atendem os pacientes do setor de fisioterapia. Em vez do usuário ser acompanhado por um, ele recebe todo atendimento com no mínimo três e no máximo cinco profissionais, entre fisioterapeutas e estudantes.

A dona de casa Ivanilde dos Santos, 55, é uma dessas pacientes contempladas com o atendimento coletivo. Ela conta que se sentiu bem e teve bastante atenção desses especialistas. “Eu me senti bastante amparada por eles. Qualquer coisa que a gente sente eles perguntam se estamos com dor e dão toda atenção necessária”, disse.

O diretor da Policlínica Codajás, o fisioterapeuta Ráiner Figueiredo, destaca que como profissional a chegada destes alunos e todo corpo técnico em acompanhamento contribui para um SUS mais humanizado.

Ele enfatiza que o serviço de fisioterapia da unidade de saúde segue em constante crescimento, principalmente com a chegada do programa Respirar do Governo do Estado. “Toda ajuda é bem-vinda, pois sabemos que além dos pacientes que estão passando por fisioterapia pós Covid, também temos uma demanda de outros usuários, e tudo que recebemos contribui de forma significativa para um melhor atendimento na saúde”.

Consulta – O atendimento no setor de fisioterapia do CER III é feito conforme pedido médico, via sistema de regulação (Sisreg). Pacientes que precisem de fisioterapia devem primeiro passar pelo atendimento clínico na Unidade Básica de Saúde (UBS), para o diagnóstico inicial. A partir desta consulta, o médico clínico avalia a necessidade de fisioterapia e prescreve o encaminhamento, para agendamento via Sisreg em uma unidade de saúde.

Related Articles

Close