Polícia Civil prende homem que se passava por funcionário de concessionária de água

Na manhã de quarta-feira (4), às 6h30, a equipe de investigação da Delegacia Especializada em Combate ao Furto de Energia, Água, Gás e Serviços de Telecomunicações (DECFS), deflagrou a operação “Lisc” que culminou no cumprimento do mandado de prisão preventiva em nome de Rogério Abreu de Araújo, 35, por estelionato e associação criminosa, além do cumprimento de dois mandados de busca e apreensão. O infrator se passava por funcionário da empresa de abastecimento de água da capital, para exigir dinheiro de clientes.

 Em coletiva de imprensa realizada nesta quinta-feira (5), às 14h30, na sede da especializada, o delegado Paulo Benelli, titular da DECFS, apresentou um balanço da operação, que contou com o apoio de policiais civis do 16° Distrito Integrado de Polícia (DIP) e do 22° DIP.

 Conforme a autoridade policial, a ação teve o intuito de desarticular uma organização criminosa que estava em atividade desde o início do ano. O grupo era formado por Harlison Araújo Pinto, 26, e Rogério Abreu de Araújo, 34, ex-funcionários da empresa. E, o terceiro integrante, está com a identidade sob investigação.

 “As investigações em torno desse caso tiverem início depois que representantes da concessionária procuraram a especializada para formalizarem a denúncia. Na ocasião, eles nos comunicaram que indivíduos, portando materiais de expedientes (formulários para autuação e cobrança de supostos débitos), uniformes e crachás da empresa, compareciam às casas de consumidores e exigiam, indevidamente, valores dos mesmos, alegando que, quem não efetuasse o pagamento iria ter o fornecimento de água interrompido. Os valores variavam entre R$ 100 e R$ 500,” informou o delegado.

 De acordo com Benelli, os alvos preferidos dos infratores eram residências localizadas no bairro Armado Mendes, na zona leste da capital. Ainda segundo o delegado, Harlison já foi preso em janeiro de 2018, após entrar em residências, também, se passando por funcionário da concessionária, para roubar as vítimas. No entanto, o infrator já está em liberdade e encontra-se foragido.

 Paulo informou que a ordem judicial em nome de Rogério foi expedida no dia 28 de novembro deste ano, pela juíza Lina Marie Cabral, da Vara da Central de Inquéritos Policiais.

Prisão – Rogério foi preso na casa dele, situada no bairro Novo Aleixo, zona norte da capital. No local foram apreendidos equipamentos utilizados para troca de tubulações de fornecimento de água.

 O delegado disse que as diligências em torno desse caso irão continuar até que Harlison e o terceiro membro do grupo sejam presos pela participação no esquema.

 Disque-denúncia – O titular da DECFS pede a colaboração das pessoas que tenham sido vítimas da ação criminosa, que entrem em contato por meio do número (92) 3622-7837, o disque-denúncia da especializada. Além de qualquer informação do paradeiro de Harlison.

 Nota da concessionária – Em nota à imprensa, a concessionária Águas de Manaus manifestou apoio às investigações e orientou a população que procure uma unidade da Polícia Civil para o registro de denúncia em casos semelhantes a este. Por fim, a empresa destacou que não realiza qualquer tipo de cobrança na porta das residências dos cliente.

 Procedimentos – Rogério foi indiciado por estelionato e associação criminosa. Ao término dos procedimentos cabíveis no prédio da especializada, o indivíduo será levado para audiência de custódia no Fórum Ministro Henoch da Silva Reis, bairro São Francisco, zona sul da cidade.

Close