Governo do Estado prorroga Crédito Emergencial até novembro

Orçamento também foi ampliado para R$ 90 milhões

O Governo do Estado, por meio da Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam), prorrogou o prazo para acesso ao Crédito Emergencial até o mês de novembro e estendeu as condições de renegociação para clientes em débito até setembro deste ano. O orçamento destinado a esta linha de financiamento também foi ampliado de R$ 70 milhões para R$ 90 milhões, para capital e municípios do interior, em todos os setores da economia.

A iniciativa foi aprovada por unanimidade durante a 8ª Reunião Extraordinária do Comitê do Fundo de Apoio às Micro e Pequenas Empresas e ao Desenvolvimento Social do Estado do Amazonas (FMPES), realizada no último dia 30 de junho.

O Crédito Emergencial, lançado em abril pela Agência, é destinado a capital de giro para custear as principais despesas e custos operacionais, como folha de pagamento, aluguel, contas de consumo e manutenção das atividades produtivas. A linha abrange autônomos (microcrédito), microempreendedor individual – MEI (microcrédito), micro e pequenas empresas, profissionais liberais e atividades voltadas ao setor primário.

A linha de financiamento, disponível exclusivamente pelo site da Afeam, possui taxas de juros de 3,6% a 9,6% ao ano e prazos flexíveis, com carência de 180 dias para iniciar os pagamentos. Com a ampliação dos prazos, as propostas serão aceitas pela Afeam até o mês de novembro, e a liberação do recursos será realizada até dezembro.

Setor primário – Segundo o diretor-presidente da Afeam, Marcos Vinícius Castro, para atender aos municípios do interior, a Agência continua atendendo por meio do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam). “Para o setor primário continuam abertas as inscrições para acesso ao Crédito. Os interessados podem procurar o Idam, que remete todos os projetos de forma digital para nossa base técnica efetuar a liberação do crédito”, afirmou.

Renegociação – As condições especiais de renegociação para clientes em débito com a Afeam também foram prorrogadas até o dia 30 de setembro. As principais vantagens para quem aderir à campanha são: prazo de até 180 dias para iniciar os pagamentos e suspensão do envio para órgãos de restrição (SPC/Serasa/Protesto). Para os clientes adimplentes na data base de 1º de março de 2020, além das vantagens já citadas, será mantido o conceito do cliente na Agência e a concessão de desconto de juros de mora, multa e desconto do bônus de adimplência (se for o caso).

Aplicação dos recursos – Até o mês de junho, o Crédito Emergencial atingiu mais de R$ 40 milhões em financiamentos, representando um crescimento de 35% em relação à média de aplicação dos últimos três anos, alcançando as atividades rural, indústria, comércio e serviço da capital e interior. O apoio financeiro da Afeam garantiu a manutenção de mais de 11 mil empregos em 2.980 operações de crédito, sendo 1.596 no interior e 1.384 em Manaus.

Close