Consumo médio de gás natural atinge volume inédito em 2021

A alta na média de consumo foi de 5,5% em comparação com o ano anterior

O consumo de gás natural (GN) no Amazonas alcançou mais uma marca histórica no ano passado. O volume demandado, em 2021, alcançou média de 5,2 milhões de metros cúbicos (m³)/dia, conforme dados divulgados pela Companhia de Gás do Amazonas (Cigás), alta de 5,5 % em comparação com o ano de 2020, que registrou a média de 4,9 milhões de m³/dia. A economicidade é apontada como a principal razão do aumento do consumo do GN.

O segmento termelétrico é o maior demandante do gás natural. O volume consumido pelas usinas termelétricas atingiu média de 5,0 milhões de m³/dia em 2021 ante 4,8 milhões de m³/dia do ano anterior. O GN distribuído e comercializado pela Cigás é responsável pela geração de grande parte da energia elétrica consumida na capital e nos municípios de Anamã, Anori, Caapiranga, Coari e Codajás.

Em se tratando do segmento industrial, as mais de 50 unidades fabris do Polo Industrial de Manaus (PIM) que consomem o energético somaram volume médio de 153 mil m³/dia em 2021, aumento de 18,8% em relação ao ano anterior, quando o volume médio comercializado foi de 129 mil m³/dia.

Outro segmento que se destacou foi o Veicular que bateu recordes mensais seguidos no ano passado. O preço mais competitivo do gás natural veicular (GNV) frente aos combustíveis líquidos aliado ao fato de que o GNV proporciona maior autonomia aos veículos foram os responsáveis por atrair a atenção de motoristas, principalmente, profissionais do volante, como taxistas e motoristas de aplicativo. A média de volume comercializado em atendimento a este segmento foi de 17 mil m³/dia em 2021 – número 36,48% acima do registrado em 2020 que contabilizou 12 mil m³/dia.

Segmento que registrou o maior crescimento percentual de volume médio demandado de GN em 2021, totalizando 135,2%, o Residencial alcançou consumo de 998 m³/dia. Este desempenho vem despontando em número de clientes nos últimos anos, encerrando 2021 com mais de 8 mil unidades consumidoras residenciais.

O volume consumido pelos estabelecimentos comerciais, como restaurantes, shopping centers, hotéis, lavanderias e hospitais, também atingiu patamar significativo. Em média foram distribuídos 3,4 mil m³/dia, aumento de 33% quando comparado com 2020. Mais uma demonstração de que o gás natural desponta como alternativa para o aumento da competitividade das empresas, inclusive daquelas impactadas pela crise de saúde pública relacionada à pandemia do COVID-19.

Investimentos em 2021 – Os crescentes resultados alcançados pela Cigás em termos de volume de gás comercializado refletem os investimentos robustos efetuados pela Companhia na ampliação da infraestrutura da matriz energética do gás natural no Amazonas. Do início de sua operação até o fim de 2021, a Cigás totalizou em torno de R$ 620 milhões em valores corrigidos, e atualmente conta com 179 km de gasodutos que levam os benefícios dos serviços de distribuição e comercialização de gás natural para um maior contingente populacional no estado.

Ganho social e ambiental – Deve-se destacar ainda que a cadeia do gás natural tem sido mola propulsora para o desenvolvimento socioeconômico do Amazonas por meio da arrecadação de tributos estaduais. Este recurso pode ser utilizado em áreas prioritárias, como Educação, Saúde e Segurança.

Outro benefício proporcionado pelo consumo do gás natural é o ambiental. A adesão ao GN, em Manaus, representou redução de 73% na poluição provocada pela queima de combustíveis líquidos e de 55% na emissão de gases de efeito estufa (metano e dióxido de carbono). Esses dados foram comprovados por meio de pesquisa produzida, há alguns anos, pela Green Ocean Amazon.

Related Articles

Check Also

Close
Close