Amazonas registra redução no diagnóstico de HIV em 2020

Um dos fatores que levaram à redução nos números foi a diminuição da busca por testes causada pela pandemia

O Amazonas apresentou redução no número de diagnósticos de HIV nos oito primeiros meses de 2020. De acordo com dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan Net), do Ministério da Saúde (MS), até agosto de 2020 foram diagnosticados 632 casos de HIV no estado, dos quais apenas um registrado em criança. Em 2019, foram 1.630 casos.

Os dados apontam que 72% dos casos diagnosticados em 2020 são de homens, e 79% de pessoas que se declaram pardas. Pessoas com idades entre 20 e 24 representam o maior número de infectados, com 26,8%.

A maior faixa etária infectada, tanto por aids quanto HIV, é da população jovem com idades entre 20 e 29 anos. Já o número de gestantes com HIV foi de 322 em 2018, 253 em 2019, e 180 de janeiro a agosto de 2020.

De acordo com a coordenadora estadual de IST/Aids da SES-AM, Vanessa Homobono, a queda nos números, no entanto, aconteceu devido à redução no volume de busca por testagens e ao fechamento dos Centros de Testagem e Aconselhamento (CTAs) entre março e junho, conforme orientação do MS, em virtude da pandemia de Covid-19.

“Neste ano, três dos nossos cinco CTAs ficaram fechados por quatro meses, devido à pandemia, e isso afetou a busca por testagem. Apenas o CTA da Fundação Alfredo da Matta e da Fundação de Medicina Tropical permaneceram funcionando com testagem na rede estadual. A procura foi mais baixa porque a população realmente estava restrita em casa”, explica.

A coordenadora ressalta que os números não significam que o contágio no Amazonas esteja reduzindo e faz questão de chamar a atenção de que o momento é de conscientização para que a população se previna, usando preservativo em suas relações sexuais e fazendo o teste periodicamente, possibilitando a descoberta da doença de forma precoce.

“Esse é um ano atípico em relação às notificações de todas as doenças, não só HIV, mas sífilis, hepatite. Só estavam tendo sendo notificados casos de Covid-19, porque eram esses pacientes que estavam procurando por atendimento médico. Então, agora estamos reforçando as campanhas para que a população faça o teste e, em caso positivo, inicie o tratamento adequado do HIV e de qualquer outra IST. Caso tenha tido uma situação de risco para o HIV, buscar a PEP (Profilaxia Pós-Exposição)”.

FOTOS: Divulgação/Secom

Campanha – Como parte da mobilização do Dezembro Vermelho, para sensibilizar a população sobre prevenção e tratamento precoce contra o HIV/Aids, a Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) vai ofertar mais de 20 mil testes rápidos de HIV, além de 900 mil preservativos, que serão distribuídos para a população nas unidades de saúde da capital e interior.

Testes rápidos – Os testes rápidos, assim como a distribuição de preservativos, serão intensificados nas unidades de saúde, como a Policlínica Gilberto Mestrinho, Danilo Correa e o Centro de Atenção Integral à Melhor Idade (Caimi) André Araújo. Conforme a coordenação, além das unidades do Estado, a SES-AM enviou preservativos para as unidades de saúde municipais, que também farão ações de prevenção.

CTAs – O diagnóstico do HIV pode ser realizado por testes rápidos em Centros de Testagem e Aconselhamento (CTAs), localizados na Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), na Fundação Alfredo da Matta (Fuam), no Caimi Ada Viana, na Policlínica Gilberto Mestrinho e na Policlínica Colônia Antônio Aleixo, facilitando o acesso à população.

Tratamento – A rede pública de saúde em Manaus possui sete unidades, distribuídas nas diferentes zonas da cidade, para acompanhamento das pessoas vivendo com HIV/Aids, sendo seis Serviços de Assistência Especializada (SAE) localizados na FMT-HVD; Fuam; Policlínica Doutor Antônio Comte Telles, no São José;  Policlínica Raimundo Franco de Sá, no Alvorada; Policlínica Dr. Antônio Reis, no São Lázaro; e Policlínica Cardoso Fontes, no Centro, além da  Unidade Básica de Saúde (UBS) Arthur Virgílio  Filho, no bairro Novo Aleixo.

No interior, os municípios de Parintins, Tabatinga, Tefé, Coari, Itacoatiara, Benjamin Constant e Maués também contam com SAE. Nos demais municípios, os pacientes contam com o suporte das UBSs e, para atendimento de alta complexidade, é encaminhado para  a FMT-HVD, unidade de referência que atende a toda demanda do estado.

Dia Mundial de Luta Contra a Aids – Celebrada anualmente em 1º de Dezembro, a data tem o objetivo de sensibilizar a opinião pública para as questões relacionadas à prevenção e ao controle do HIV/Aids, bem como reduzir o preconceito, a discriminação, e promover o respeito e a garantia dos direitos à saúde de todas as pessoas que vivem com HIV (PVHIV).

O Dezembro Vermelho foi escolhido pelo Ministério da Saúde em razão do Dia Mundial de Luta contra a Aids, celebrado no mundo inteiro em 1º de dezembro.

Close