Wilson Lima foi o único governador brasileiro a falar em evento na ONU

Ele e outros governadores da Amazônia participaram também de evento apoiado pelo PNUD, em Nova Iorque.



O governador do Amazonas, Wilson Lima, defendeu o desenvolvimento sustentável e novas estratégias de conservação da Amazônia em dois eventos em Nova Iorque, neste domingo (22/09). No primeiro, na Organização das Nações Unidas (ONU), onde ele foi o único governador brasileiro a falar, destacou a importância das parcerias para investimentos que priorizem a melhoria na qualidade de vida de quem vive na região amazônica.

“Não tem como a gente falar de preservação sem levar em consideração o desenvolvimento econômico e social. Uma coisa não pode estar dissociada da outra. Por isso é importante quando, em eventos como esse na ONU, há a participação de amazônidas, de pessoas que vivem na floresta, para falar sobre nossas experiências” disse Wilson Lima.

O governador destacou que, durante o encontro na ONU, com o tema “Amazônia Possível”, teve a oportunidade de ouvir especialistas, representantes da iniciativa privada, artistas e governantes sobre o que pensam em relação ao desenvolvimento da região. O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Sales, participou do evento.

“É importante ouvir a percepção dessas pessoas e ter essas informações, experiências, para conectarmos com o que nós temos de vivência do nosso povo e da nossa realidade social”, frisou Wilson Lima.

Na ocasião, o governador traçou um panorama sobre as ações desenvolvidas pelo Amazonas para conservar a floresta. “O estado do Amazonas concentra a maior parte da Amazônia, são 1,5 milhão de quilômetros quadrados, com 97% dessa área protegida. Nós temos apenas 3% de área antropizada, ou seja, área em que há atividade humana. E a maioria desses 3% é área urbana, e daí a necessidade de se pensar, acima de tudo, sobre o cidadão que está lá na floresta”, afirmou, ao ressaltar que não há ninguém no mundo mais interessado em proteger a Amazônia do que quem vive na região.

Declaração de Nova Iorque : O governador também palestrou em um evento que marcou o quinto aniversário da Declaração de Nova York Sobre as Florestas. Nele foi lançado o Relatório de Avaliação de Progresso da Declaração sobre as Florestas, que vai contribuir nas discussões da Cúpula das Ações Climáticas de 2019 das Nações Unidas, que ocorrerá nesta segunda-feira (23/09).

Wilson Lima foi convidado para participar do evento pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), agência de desenvolvimento global da ONU, e esteve no local também como presidente da reunião anual doo Fórum Global dos Governadores para Climas e Florestas (GCF – sigla em inglês).

No encontro, o governador do Amazonas destacou que a participação dos governadores da Amazônia em eventos como esse representa a oportunidade de mostrar ao mundo as potencialidades da região.

“Temos uma janela de oportunidades para mostrar. Nós sofremos uma cobrança internacional muito grande, especialmente com o que aconteceu em relação às queimadas recentemente. Houve um exagero no que foi divulgado mas também, de fato, houve um aumento nas queimadas. Mas é importante destacar que nós precisamos não só combater as queimadas, mas ter ações que evitem que isso volte a acontecer”, afirmou.

Wilson Lima defendeu, como ações possíveis, investimentos em áreas com grande potencial de desenvolvimento, como a bioeconomia, o turismo sustentável, a piscicultura e a exploração do gás natural, entre outras.

“É muito importante termos o governador Wilson Lima aqui conosco. Estamos dialogando sobre mudanças climáticas. É muito importante termos ele aqui conosco, como presidente do GCF, que abrange 10 países e 38 estados, porque ele pode falar o que os que outros governadores não têm a oportunidade de falar”, disse Colleen M. Scanlan Lyons, diretora de Projetos do GCF.

O secretário estadual de Meio Ambiente, Eduardo Taveira, destacou o protagonismo do Governo do Amazonas nas agendas da ONU. “O mote de tudo o que foi discutido aqui é a necessidade de se encontrar uma solução para que a conservação ambiental e os esforços para superar a pobreza sejam uma agenda conjunta e não adversa. E a fala do governador tem sido importante porque ela tem um impacto, estamos aqui no meio de vários financiadores, vários fundos que precisam escutar o que está acontecendo de verdade na Amazônia”, frisou.

Reunião com investidores – O governador Wilson Lima ainda se reuniu com investidores internacionais para tratar de parcerias. Ele esteve com Fiona Banister, que trabalha com representação de Fundos para pequenos negócios e com Peter Seligmann, responsável pelo Fundo deixado por Steve Jobs. Eles discutiram parceria para projetos na região do Vale do Javari, na região do Alto Solimões.

“Tivemos conversas muito positivas. Conversei com o Peter, que toma conta do fundo que foi deixado pelo Steve Jobs, e ele está muito preocupado com a situação do Vale do Javari e ele já sinalizou com investimentos em um projeto que estamos construindo para aquela área, para proteção de populações tradicionais”, ressaltou o governador.

Wilson Lima adiantou que, até a próxima semana, deve se reunir novamente com representantes do fundo norte-americano, em Manaus, para discutir detalhes do projeto.

Para Eduardo Taveira, a discussão está sendo conduzida de forma que o Governo do Amazonas seja protagonista nestas agendas de desenvolvimento. “O Estado tem uma politica voltada aos povos indígenas muito forte e, fazer essas ações em cooperação com fundos internacionais, é importante para consolidar essa estratégia que o Governo tem demonstrado, de atuar com impacto primeiro na melhoria da qualidade de vida das pessoas, o que inclui as populações indígenas do Estado.

Close