Torcedores e turistas que prestigiaram a primeira rodada dupla do Torneio Olímpico de Futebol, nesta quinta-feira, 4 de agosto, na Arena da Amazônia, contaram com os serviços fundamentais de voluntariado e de acesso à Arena voltado para pessoas com deficiência. As ações integram os programas Ajuri- Voluntários da Amazônia para os Jogos Olímpicos Rio 2016 em Manaus, e de acessibilidade da Secretaria Estadual da Pessoa com deficiência (Seped).

JOGO

Antes mesmo dos portões abrirem oficialmente, os voluntários do Ajuri já desempenhavam as suas funções de informar e auxiliar as pessoas até às entradas principais do Estádio. O entusiasmo e a dedicação foram as principais marcas dessa turma que fez jus à atitude ao termo regional do nome do programa, que significa reunião de pessoas para um trabalho comunitário. “Tem sido maravilhosa essa experiência com esse contato com pessoas de outros Estado e países, e isso deve ficar para o resto da minha vida como colaborador de um trabalho tão promissor como esse”, comentou o voluntário Inácio de Loiola.

Entre uma abordagem e outra, estava a amazonense Ângela Moraes, 34, que mora na Espanha, mas que veio para o Estado integrar a equipe. “É um evento importante para o Brasil e vou fazer esse trabalho com muita felicidade até o último dia dos jogos em Manaus, afinal é algo que vai ficar para a história”.

A funcionária pública Maria das Graças, 46, veio assistir a primeira rodada dupla do Torneio com a família, e foi orientada sobre procedimentos importantes para prestigiar os próximos jogos. “Eu não sabia que podia trazer bolsas e alimentos, daí tive que deixar, e entendo que faz parte das regras de segurança do evento. Para os próximos jogos, já não vou mais trazer”.

Programa – O Ajuri – “Voluntários da Amazônia” é o programa de voluntários do Governo do Amazonas para os Jogos Olímpicos Rio 2016 em Manaus. O programa conta com 350 voluntários para os jogos em Manaus, e foi criado pelo Comitê Manaus 2016 e a Agência Amazonense de Desenvolvimento Econômico e Social (Aades) para estimular a população local a fazer parte deste momento único no País que são as Olimpíadas Rio 2016.

Acessibilidade – A praticidade em chegar até a Arena da Amazônia foi importante para as pessoas com deficiência e seus familiares. Com o apoio de dez ônibus adaptados, as pessoas saíram da Assembléia Legislativa do Amazonas (Aleam), na Avenida Humberto Calderaro, e foram deslocadas até a entrada no Portão “D” da Arena. Para o cadeirante Rubens Paz, 60, o trabalho vai ser fundamental para os três dias de jogos na capital amazonense. “Foi essencial essa facilidade para o cadeirante nesse evento, porque ajuda a gente chegar de maneira mais digna e respeitosa”, disse.

O serviço gratuito conta com apoio da Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) e estará disponível nos dias dos jogos em Manaus, com saída do estacionamento da Aleam, a partir das 16h.

COMPARTILHAR