Home / É NOTÍCIA / TJAM capacita novos servidores para atuação no Programa de Monitoria

TJAM capacita novos servidores para atuação no Programa de Monitoria

O Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) por meio de sua Escola de Aperfeiçoamento do Servidor (EASTJAM) e Divisão de Tecnologia da Informação e Comunicação (DVTIC) conclui nesta quinta-feira (10) a capacitação de servidores de doze unidades judiciárias para atuar como monitores no Programa de Monitoria.

thumb_36294399002_30edefa82d_zOK

Foto: Raphael Alves

Lançado na gestão do presidente do TJAM, desembargador Flávio Pascarelli Lopes, o programa vem sendo aplicado há aproximadamente um ano pela Corte Estadual e busca contribuir com o desempenho dos Juizados favorecendo o cumprimento de metas nacionais do Judiciário. Na Corte Estadual de Justiça, o programa está vinculado à Comissão de Acompanhamento das Metas Nacionais do Poder Judiciário que é coordenada pelo desembargador João de Jesus Abdala Simões.

Iniciada na quarta-feira (9) e realizada na sala de aula da ESTJAM, a capacitação está sendo ministrada pelo coordenador do e-SAJ, Ricardo Câmara e conta com a participação de servidores que atuam na 1ª Vara Criminal, 1ª e 4ª Varas Especializadas em Crimes de Uso de Tráfico e Entorpecentes (Vecutes), 3ª Vara do Tribunal do Júri, Juizado da Infância e Juventude Infracional, 9ª e 10ª Varas da Família e Sucessões, 2ª Vara da Dívida Ativa Municipal, 17º Juizado Especial Criminal, 17ª Vara Cível, Vara Especializada em Meio Ambiente e Questões Agrárias e 13ª Vara do Juizado Especial Cível.

Na capacitação, os servidores estão sendo instruídos quanto às metas nacionais do Judiciário e recebendo instruções especializadas visando a simplificação de rotinas cartorárias e a otimização do serviço de movimentação processual no sistema de automação informatizado do Poder Judiciário (SAJ).

Foco

A partir da simplificação de rotinas cartorárias o Programa de Monitoria tem como foco o cumprimento das metas 1 e 2 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). A meta 1 estabelece que as Cortes devem julgar quantidade maior de processos de conhecimento do que os distribuídos no ano corrente.

A meta 2, por sua vez, aponta que as Cortes Estaduais de Justiça devem julgar até 31 de dezembro de 2017, pelo menos 80% dos processos distribuídos até 31 de dezembro de 2013 no 1º grau; 80% dos processos distribuídos até 31 de dezembro de 2014 no 2º grau e 100% dos processos distribuídos até 31 de dezembro de 2014 nos Juizados Especiais e Turmas Recursais.

 

Com informações da Assessoria de Comunicação: TJAM

 

Publicado em: 10 de Agosto de 2017 18:48

Veja Também

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*