Suspeitos de atirar de fuzil em PMs são mortos em condomínio de luxo, em Manaus

Após trocar tiros com a polícia, dois homens morreram, na quinta-feira (23), durante uma ação conjunta policial dentro do condomínio Parque dos Ingleses, na avenida Constantino Nery, zona Centro-Sul de Manaus.

A dupla estava sendo investigada por ter participado do ataque a uma guarnição da Polícia Militar, na noite do último domingo (19), no bairro de São Jorge. No dia do ataque, um fuzil e munição com inscrição da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) foram abandonados pelos atiradores.

No momento em que policiais civis do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), em conjunto com policiais do grupo Fera entraram no imóvel para realiza a abordagem, foram recebidos a tiros pelos suspeitos. A polícia revidou a agressão e atirou contra os suspeitos. Os policiais ainda prestaram socorro, levando a dupla para atendimento no Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto, mas eles não resistiram e morreram a caminho da unidade.

“Nós estávamos investigando essa quadrilha há um certo tempo, desde o momento em que houve um assalto a um carro forte no município de Humaitá. Nós havíamos pedido uma mandato de busca e apreensão, foi quando ocorreu o ataque à viatura da polícia no domingo”, disse o delegado e diretor do DRCO, Sinval Barroso. “Quando identificamos que o veículo deixado no local do ataque à polícia era o mesmo que entrava e saia do condomínio, ligamos os pontos e observamos que se tratava da mesma quadrilha. De imediato montamos nossa resposta tática”, explicou. No apartamento em que a dupla estava a polícia apreendeu um caderno, que mostra o planejamento do grupo, incluindo ataques a carro-forte, caixas eletrônicos, bancos e venda de drogas.

Os suspeitos utilizavam identidade falsa, por isso não foi possível o imediato reconhecimento. No imóvel foram apreendidos ainda diversas munições de fuzil, coletes balísticos, máscaras, fuzil de assalto modelo colt 556, revólver, carregadores de pistola calibre .40, pistola. O  Instituto Médico Legal (IML) fez a remoção dos corpos do necrotério do HPS 28 de Agosto.

O caso ainda segue sob investigação policial para tentar prender outras pessoas que estão envolvidas com a dupla.

Close