Pelo menos uma ou duas vezes por dia nós precisamos ir ao banheiro para colocar para fora aquilo que nosso corpo não consegue aproveitar. Se ficamos sem conseguir ir ao banheiro durante alguns dias, já ficamos extremamente mal, agora imagine ir aos pés apenas uma vez por mês.

Essa era a realidade de um homem cuja história está em The Mütter Museum of The College of Physicians of Philadelphia(museu da Filadélfia, nos Estados Unidos)

Essa era a realidade de um homem cuja história está em um museu da Filadélfia, nos Estados Unidos. O rapaz não é identificado, mas a história conta que ele sofria com a “doença de Hirschsprung” – uma condição que fazia com que ele fosse ao banheiro apenas uma vez ao mês. Isso acontece porque a condição provoca o mau funcionamento das células do cólon, dificultando o trabalho do intestino. Quando o rapaz tinha 16 anos, ele chegava a ficar um ano sem ir ao banheiro.

Ainda os médicos conhecessem sua condição, não podiam operá-lo, pois se tratava de uma cirurgia muito perigosa. Isso tudo aconteceu em 1890, e as condições eram muito diferente das que temos hoje em dia. Durante seus 29 anos de vida, esse homem não apenas ficou seu assistência médica, como também foi exposto em um museu.

O rapaz morreu aos 29 anos de idade, em um banheiro. Quando realizaram a perícia em seu corpo, ficou constatado que seu cólon tinha 18 quilos de excremento, com 76 centímetros de diâmetro.

Fonte: casosinteressantes

COMPARTILHAR