FOTOS: FAPEAM

 Pratos prontos à base de pescado com a tecnologia serão disponibilizados a partir de setembro. O projeto é uma das 28 pesquisas aprovadas no âmbito do Programa Sinapse da Inovação, fruto da parceria firmada entre o Governo do Amazonas, via Fapeam, com a Fundação Certi

O projeto “Preparo de pratos prontos para o consumo à base de pescado embalados sob atmosfera modificada” pretende prolongar a vida útil de alimentos em até 45 dias e potencializar a venda de produtos oriundos da pesca dos rios e lagos da Amazônia. A proposta é coordenada pelo doutor em Aquicultura, Marcondes Gonzaga Júnior.
 
A inovação visa à diversificação da oferta de produtos pesqueiros, por meio do lançamento do uso de embalagens  com atmosfera modificada, aumentando a vida útil (tempo) destes produtos nas prateleiras.
O projeto deve agregar mais valor aos produtos provenientes do pescado. O coordenador da proposta explicou que tecnologia consiste no processo de embalamento de pescados minimamente processados, que seriam os pratos prontos, aliado a uma atmosfera otimizada de gases.
“Esses gases vão controlar as ações microbiológicas, físicas e químicas do determinado produto prolongando a vida útil dele por até 45 dias. Nós já fizemos vários testes que comprovam a eficácia da tecnologia. Também já apresentamos o produto para diversos clientes e estabelecemos algumas parcerias de comercialização”, destacou o empreendedor.
Com as parcerias já estabelecidas, o grupo empreendedor está trabalhando para obtenção de um selo concedido pelos órgãos competentes para que os pratos prantos possam ser disponibilizados nos supermercados, empórios e lojas de conveniência.

“O produto deve ser disponibilizado nas gôndolas dos supermercados neste segundo semestre. A expectativa é que a partir de setembro o consumidor tenha acesso ao nosso produto”, disse Júnior.

 O projeto é uma das 28 pesquisas aprovadas no âmbito do Programa Sinapse da Inovação. O programa é fruto da parceria firmada entre o Governo do Amazonas, via Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), com a Fundação Centro de Referência em Tecnologias Inovadoras (Certi). O foco do programa é transformar ideias inovadoras em negócios de sucesso, além de fortalecer o empreendedorismo, o cenário inovador e econômico no Estado. 

COMPARTILHAR