FOTOS: Erlon Rodrigues / Assessoria de Imprensa da PC-AM

A Polícia Civil do Amazonas, representada pelo delegado Jeff David Mac Donald, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), falou, na manhã desta quinta-feira (14/06), durante coletiva de imprensa realizada às 9h30, no prédio da especializada, sobre o cumprimento de mandado de prisão temporária, com prazo de 30 dias, por homicídio, em nome de Suzany Antunes Barreto, 27, envolvida na execução de Jean de Brito Albano, conhecido como “Jacaré”. A vítima tinha 20 anos.

De acordo com a autoridade policial, a infratora foi presa pela equipe da DEHS na manhã de quarta-feira (13/06), por volta das 9h30, na casa onde morava, localizada na rua Romênia, conjunto Parque das Nações, bairro Flores, zona centro-sul de Manaus. A ordem judicial em nome de Suzany foi expedida no dia19 de março deste ano, pela juíza Eline Paixão e Silva Gurgel do Amaral Pinto, da 1ª Vara do Tribunal do Júri.

Mac Donald explicou que o crime aconteceu na madrugada do dia 31 de maio de 2017, na rua Barão do Rio Branco, bairro Flores, e foi motivado pela disputa por áreas para comercialização de drogas no conjunto Parque das Nações, também no bairro Flores. Conforme o delegado, a ordem da execução de “Jacaré” partiu do então companheiro da infratora, Osmando Silva Teles, conhecido como “Osga”, que na época estava preso.

Grupo rival – Segundo o titular da DEHS, a vítima era integrante de um grupo rival ao dos infratores. Jeff David disse, ainda, que Suzany teria repassado informações sobre a vítima para “Osga” e aos “Irmãos Cachoeira”, como são conhecidos Charles Rodrigo Belo da Silva e Wanderlan Torres da Silva, que trabalhavam para o detento e estão sendo procurados pela polícia.

“Quando o grupo teve conhecimento de que Jean estava vendendo drogas naquela área para traficantes rivais, determinou a morte de ‘Jacaré’. Nós chegamos até Suzany durante as investigações em torno da morte de Osmando e de outra pessoa, no dia 3 de junho deste ano. Ao consultarmos o Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp), verificamos a existência, em aberto, do mandado de prisão em nome de Suzany”, explicou o delegado.

Suzany afirmou, em depoimento, que mantinha contato com Osmando por meio de um aplicativo de mensagens instantâneas, de onde partiu a ordem para a execução de “Jacaré”. A mulher revelou, ainda, a identidade dos executores, que não será divulgada para não comprometer o andamento das investigações. A autoridade policial já representou à Justiça o pedido de prisão preventiva em nome dos infratores.

Indiciamento – A mulher foi indiciada por homicídio qualificado. Suzany irá permanecer nas dependências do prédio da especializada até o término dos procedimentos cabíveis em torno do caso.

Disque-Denúncia – Jeff Mac Donald solicitou a colaboração da população para localizar e prender os irmãos Charles Rodrigo Belo da Silva e Wanderlan Torres da Silva. Quem puder colaborar com informações que possam ajudar os policiais civis, entrar em contato pelo número (92) 99184-4434, o disque-denúncia da DEHS. Delações também podem ser feitas ao número 181, da Secretaria de Estado de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM). “Asseguramos o sigilo da identidade dos informantes”, garantiu.

COMPARTILHAR