Foto: Divulgação/FCecon

A Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), unidade vinculada à Secretaria de Estado de Saúde (Susam), divulgou, nesta semana, a lista com quase 50 novos projetos de pesquisa, classificados para a edição 2018-2019, do Programa de Apoio à Iniciação Científica (Paic). O programa recebe o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Amazonas (Fapeam).

Os projetos foram formatados por alunos de diversas universidades públicas e privadas do Estado, com temas voltados à Oncologia. Alguns exemplos são: a relação de vírus oncogênicos com o desenvolvimento do câncer de pênis; análise do exame anatomopatológico de tireoide em hospital de referência em cancerologia; perfil de metástases em pacientes com câncer de tireoide; frequência de diversos tipos de HPV (Papiloma Vírus Humano) em tumores malignos de cavidade oral e orofaringe; e síndrome de Burnout em profissionais de cuidados paliativos.

Também serão abordadas temáticas como: a punção aspirativa por agulha fina guiada por ultrassonografia; sobrevida de pacientes femininas e masculinos com câncer no Amazonas; perfil imunohistoquímico de pacientes com metástases; qualidade de vida sexual dos pacientes com carcinoma de pênis; fungos associados às neoplasias pulmonares; avaliação de marcadores hematológicos em pacientes com tumores gástricos; avaliação nutricional de pacientes cirúrgicos com câncer gástrico, em uso de  suplemento alimentar; HPV e o câncer de colo uterino e o perfil epidemiológico, clínico e de imagens dos pacientes submetidos à biópsia de mama na FCecon, entre outros.

O Paic/FCecon está na sua 8ª edição. Com os 49 projetos, cujas pesquisas serão iniciadas em agosto, a instituição contabiliza 351 estudantes de nível superior inseridos na área científica. A diretora de Ensino e Pesquisa da FCecon, Kátia Luz Torres, explica que o Paic tem a duração de 12 meses.

Os resultados parciais são apresentados após os seis primeiros meses de estudo e os finais, em agosto do ano que vem, durante a Jornada Científica da FCecon. Eles serão formatados como artigos científicos e poderão ser publicados em revistas e periódicos da área.

“Muitos trabalhos desenvolvidos através do Paic, já foram apresentados em congressos de peso no Brasil e no exterior. É um reconhecimento importante, pois conseguimos contribuir com a melhoria na assistência ao paciente com câncer. Isso também demonstra que estamos avançando cada vez mais, e abrindo as portas para quem tem interesse em ciência e oncologia”, destacou.

Ela explica, ainda, que uma parcela significativa dos estudos derivados do programa, já transformou-se em protocolos assistenciais na FCecon. As pesquisas consideram, entre outros fatores, o perfil específico do paciente atendido na instituição, que hoje é considerada referência em cancerologia na região Norte do País. Todos os estudos são acompanhados por mestres e doutores em atuação na Fundação.

COMPARTILHAR