133

Foto: Edson Piola/portaldoamazonas.com

Família: PODOCNEMIDIDAE

Nome cientifico: Podocnemis unifilis

Nome comum: tracajá, tracajoa (fêmeas) e zé-prego (machos).

América do Sul: taricaya (Colômbia, Peru e Venezuela).

América do Norte: Yellow- Spotted Amazon River Turtle (EUA).

Tamanho/Peso: chegam a medir 35 cm de comprimento e a pesar cerca de seis quilos.

Características da espécie: os machos são menores que as fêmeas, e possuem a carapaça mais estreita e cauda mais longa e espessa. Os filhotes e jovens apresentam manchas amarelas na cabeça. Fêmeas adultas têm uma variação ontogenética, no colorido amarelo da cabeça que torna-se marrom ferrugem com o avançar da idade. Em alguns machos o padrão de cor da cabeça pode se perder.

Habitat: vivem em uma variedade de habitats como, grandes rios, lagos, lagos de meandro, pântanos, brejos e lagoas. Ocorrem nos três tipos de rios amazônicos, rio de água branca, rio água clara e rio água preta.

Dieta: são predominantemente herbívoros, ou seja, se alimentam de plantas (frutos, talos, folhas, sementes e algas).  As fêmeas consomem mais sementes e frutos, enquanto os machos comem mais caules de gramíneas.

Reprodução: o período de desova varia ao longo de sua distribuição na Amazônia. A desova é dependente do recuo do nível da água, com isso a estação de desova varia de junho até fevereiro dependendo da localidade. As fêmeas desovam de uma a duas vezes por temporada cerca de 35 a 40 ovos. O sexo dos filhotes é determinado pela temperatura de incubação.

Exploração: a principal ameaça para a sobrevivência desta espécie é a massiva exploração de adultos, jovens e ovos para consumo e venda. Algumas populações de tracajás nas bacias dos rios madeira e Tapajós têm sofrido efeito da poluição por mercurio (Hg) normalmente associada com o garimpo de ouro .

Conservação: foi classificada em 2012 como quase ameaçada na nova Avaliação Científica do Risco de Extinção da Fauna Brasileira. Na Amazônia existe um programa que monitora e protege as praias de desova para tracajás e tartarugas- da-Amazônia.

COMPARTILHAR