A ingestão adequada de alimentos é fundamental para a recuperação de qualquer doença, afirma Jamara  Ferreira, nutricionista do Hospital e Pronto-Socorro (HPS) da Zona Norte. Por conta disso, a equipe hoje coordenada por Jamara já realizou, de 2015 até outubro deste ano, mais de 10 mil avaliações de pacientes internados na unidade. Por meio desse procedimento, problemas relacionados à alimentação são identificados.

O tratamento de uma doença vai além do uso de medicamentos e no HPS da Zona Norte os pacientes são conscientizados de que a medicação associada a refeições adequadas é fundamental para a recuperação deles. Unidade do Governo do Amazonas vinculada à Secretaria de Estado da Saúde (Susam), o HPS da Zona Norte é administrado pelo Instituto de Medicina, Estudos e Desenvolvimento (Imed) desde a inauguração.

“Na internação é necessário fazer a detecção dos pacientes em risco nutricional para, se necessário, fazer uma intervenção a fim de evitar um quadro de desnutrição. A nutrição hospitalar tem como objetivo a manutenção de um estado adequado dos seus pacientes, envolvendo desde a prevenção até o tratamento de riscos nutricionais”, explicou a nutricionista.

A equipe que realiza esse trabalho no HPS Zona Norte tem um contato direto com o paciente no leito. São levantadas informações essenciais para a boa nutrição como preferências e aversões alimentares, se o cardápio oferecido pelo hospital tem boa aceitação e se há necessidade de suplementação alimentar. Essas informações vão para uma espécie de mapa de dietas e são consideradas na oferta das refeições.

“O paciente que se alimenta mal pode ter seu quadro clínico agravado com a perda de peso. O corpo passa a responder de uma forma mais lenta. A intenção do acompanhamento é garantir que o paciente está ingerindo a alimentação ofertada”, disse Jamara.

Segundo ela, quando doente, as pessoas costumam apresentar redução de apetite, por isso a nutricionista analisa a necessidade de suplementação alimentar. Os suplementos alimentares são preparações destinadas a complementar a dieta e fornecer nutrientes, como vitaminas, minerais, fibras, ácidos graxos ou aminoácidos.

No momento da alta melhorada, o paciente deve seguir com as orientações em casa. “Nós os orientamos, por escrito, para continuarem com a alimentação adequada em casa. Temos modelos de orientações elaborados para cada tipo de patologia e faixa etária”, disse.

COMPARTILHAR