Foto: Bruno Zanardo

A ponte sobre o rio Ariaú, localizada km 35 da rodovia AM-070, a Manuel Urbano, começou a receber na quarta dia (10/07) longarinas metálicas sobre as vigas. A implantação começou a ser feita pela manhã desta terça-feira (10), oito das 20 vigas previstas já estavam instaladas. A obra é realizada pelo Governo do Amazonas por meio da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra).

Essas peças formam a base de sustentação da ponte, que mede 204 metros de comprimento, e fazem parte das obras de duplicação da estrada. Após esses serviços, serão lançadas as pré-lajes para montagem do tabuleiro e guarda-rodas da ponte para receberem concretagem, a fim de aguardar o tempo de cura do concreto, o que deve acontecer até o final do mês de julho.

 Sobre o rio Miriti, mais precisamente no km 75 da AM-070, está concluída a primeira etapa do encabeçamento da ponte, que receberá as longarinas metálicas ainda no mês de julho. No local está sendo realizado serviço de aterro e compactação do solo.

Do km 35 ao km 78 foram realizados os serviços de supressão vegetal, limpeza da área para realocação dos postes de energia e retirada dos imóveis desapropriados. Os serviços de drenagem profunda estão com mais 60% executados e a terraplenagem continua em execução.

Apesar do período chuvoso, que ainda atinge Manaus e região metropolitana, os serviços continuam sendo realizados para a duplicação de mais 44 quilômetros da estrada, de acordo com a Seinfra.  “Agora que estamos no verão amazônico, vamos dar celeridade às obras de duplicação dessa rodovia, principalmente as pontes do Ariaú e do Miriti para ter melhor trafegabilidade e otimizar o escoamento na nossa região”, explicou Oswaldo Said, titular da Seinfra.

Devido ao tráfego com máquinas pesadas na estrada e à presença dos trabalhadores, a Seinfra alerta aos condutores que tenham atenção redobrada para a sinalização ao longo da rodovia e que trafeguem com cautela nos trechos em obras.

A rodovia interliga Manaus às cidades de Iranduba, Novo Airão e Manacapuru. A duplicação encurtará o caminho entre capital e produtores rurais de municípios do Médio Solimões, Purus e Juruá, que são calhas do Amazonas.

A duplicação da estrada, além de facilitar o escoamento, a comercialização e a distribuição de produtos do interior, também impulsionará a circulação de turistas e moradores na região metropolitana de Manaus.

O primeiro trecho duplicado da rodovia possui 11 quilômetros de extensão e foi inaugurado em 2015, pelo Governo do Estado. Mais 23 quilômetros foram entregues, chegando ao total de 34 quilômetros duplicados e em pleno funcionamento.

COMPARTILHAR