FOTOS: DIVULGAÇÃO/SEDUC

Membros do Conselho de Educação Escolar Indígena do Amazonas (CEEI/AM), lideranças indígenas de diversas etnias e representantes da Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino do Amazonas (Seduc) participaram na manhã desta quarta-feira (12/09), da segunda Reunião Ordinária do Conselho de Educação Escolar Indígena do Amazonas, que se estenderá até o dia 14 de setembro, na sede da Secretaria de Educação, no bairro Japiim 2, zona sul de Manaus.

A reunião faz parte das atividades previstas pelo conselho e tem como objetivo discutir as políticas públicas voltadas para a educação escolar indígena no Amazonas, além de dar posse ao colegiado para o quadriênio 2018-2021, promover a formação técnica dos conselheiros e analisar e aprovar resoluções e pareceres.

Além de membros do conselho e representantes da Seduc no Amazonas, a reunião contou com a participação de representantes da Fundação Estadual do Índio (FEI/AM), Fundação Nacional do Índio (Funai), Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime). O evento contou ainda com a presença da secretária Executiva Adjunta da Capital da Seduc, Hellen Matute, que na ocasião representou o titular da pasta, professor Lourenço Braga.

O presidente do Conselho de Educação Escolar Indígena do Amazonas, Emilson Frota Lima, explicou que uma das propostas da reunião é prestar contas das ações que vêm sendo realizadas pelo conselho. “A gente está fazendo essas ações justamente para fazer o papel do conselho, que é a fiscalização e o acompanhamento das escolas, ver se realmente a política pública está chegando nas aldeias e fazer uma conversa entre os conselheiros de diferentes regiões, porque aqui todas as regiões do Estado do Amazonas estão compostas e cada um dos conselhos aqui vão socializar as problemáticas e as suas conquistas, as suas facilidades e as suas lutas, justamente para que a gente possa contribuir com a luta do outro e também para o próprio Estado saber se o investimento que ele está fazendo, está chegando in loco”, disse.

De acordo com o gerente de Educação Escolar Indígena da Seduc e representante no conselho, Alcilei Vale, as ações que a Secretaria tem realizado em prol da educação indígena no Amazonas também farão parte das discussões. “A participação da Seduc enquanto conselho é justamente dar respostas àquilo que o conselho tem solicitado de ações junto ao Governo do Estado, então nós temos a apresentação das ações que temos executado enquanto Estado, através da Gerência de Educação Escolar Indígena e dando condições e embasamento aos conselheiros do que eles têm que fazer para que as ações da Seduc cheguem às bases, como a formação de professores, construção de material didático, formação continuada de técnicos nas Secretarias de Educação”, explicou Vale.

COMPARTILHAR