FOTOS: DIVULGAÇÃO/ASCOM SUSAM

Um dos maiores prontos-socorros do Amazonas, o Hospital João Lúcio Machado, na zona Leste de Manaus, é referência entre as unidades da Secretaria de Estado de Saúde (Susam) na realização de microcirurgias intracranianas para a retirada de tumores no cérebro. Em 2017, o hospital realizou 790 neurocirurgias, 31 delas para retirada de tumor cerebral. Até maio de 2018, foram realizadas 302 neurocirurgias – 287 gerais e 15 para a retirada de tumor.

Considerado de alta complexidade, o procedimento só é possível graças a equipamentos de última geração disponíveis no pronto-socorro, como microscópio cirúrgico e aspirador ultrassônico.

Um dos neurocirurgiões que opera os equipamentos no João Lúcio, Sílvio Fernandes, ressalta que a estrutura encontrada na unidade faz do hospital uma referência na região, na área de microcirurgias intracranianas, medular e de aneurismas cerebrais.

“O aspirador ultrassônico que temos aqui, junto com o microscópio cirúrgico, capacita a unidade para realizar o que chamamos de microcirurgia, microcirurgia intracraniana, medular, e as microcirurgias intracraniana vasculares, que são as cirurgias de aneurismas cerebrais. Temos a estrutura ideal para esses tipos de procedimentos”, explica Sílvio.

O neurocirurgião Marco Valdivia, que também atual no João Lúcio, diz que os equipamentos permitem a eles realizarem intervenções seguras em lesões tumorais, vasculares e infecciosas. “Dentro da rede do SUS, este é o melhor microscópio disponível no Amazonas. Tudo isso nos dá um campo microscópio de ação para fazermos, com segurança, um procedimento microcirúrgico, com todos os detalhes necessários”, avalia Valdivia.

Além da retirada de tumores no cérebro, o microscópio cirúrgico também é utilizado em cirurgias de tumores de medula espinhal e aneurismas intracranianos.

Cirurgias agendadas – As microcirurgias intracranianas para a retirada de tumores no cérebro, procedimentos de alta complexidade, são agendadas (eletivas) no João Lúcio Machado, para pacientes que já vêm sendo atendidos no próprio hospital, que deram entrada pelo serviço de emergência, ou foram encaminhados de outras unidades da rede estadual.

“Chamamos de cirurgia eletiva agudizada, ou seja, casos que se tornaram emergência. O encaminhamento ocorre quando a pessoa vai ao pronto-socorro se sentido mal, ou foi diagnosticada em alguma unidade. Essa pessoa é avaliada pelo neurocirurgião e, ao definir o diagnóstico, a gente já providencia os exames e passa a fazer o agendamento para a cirurgia”, explica o diretor do João Lúcio Machado, Edson Ramos.

Conclusão do tratamento – De acordo com o diretor, a estrutura permite que a unidade, além de prestar atendimento de urgência e emergência, possa também concluir o tratamento do paciente. “Hoje conseguimos, além do atendimento de emergência, logo a seguir, programar a cirurgia do paciente para o tratamento definitivo. Poucos estados do Brasil têm o serviço organizado dessa forma”, ressalta Edson Ramos.

O Hospital e Pronto-Socorro João Lúcio Machado realiza cirurgias agendadas pós-atendimento de emergência tanto na área de neurocirurgia quanto na de ortopedia. Entre os pacientes atendidos em neurocirurgia estão as vítimas de acidentes de trânsito e de acidente vascular cerebral.

COMPARTILHAR