FOTOS: BRUNO ZANARDO/SECOM

A programação cultural de Parintins vai além da festa dos bumbás Caprichoso e Garantido, na arena do Bumbódromo, entre os dias 29 de junho e 1º de julho. Ela começa bem antes e serve para ratificar o talento artístico do povo parintinense.  Pensando nisso, o Governo do Amazonas, por meio da Empresa Estadual de Turismo (Amazonastur), investiu esse ano na agenda de eventos, paralela ao Festival Folclórico de Parintins.

De acordo com a subsecretária de Turismo de Parintins, Karla Viana, essa programação de festividades começa bem cedo, ainda no mês de maio, com a escolha do cartaz oficial do Festival.  Inclui ainda a apresentação das quadrilhas e danças folclóricas, além da festa dos Bois Mirins “Mineirinho”, “Estrelinha” e “Tupi”, na Praça dos Bois, ao lado do Bumbódromo. Para fechar a agenda, entram em cena os Bois Caprichoso e Garantido na versão em marionete. “A gente pode dizer que Parintins tem Boi P, M e G”, brinca Karla Viana.

Ela fala da importância do apoio do Governo do Estado e a parceria firmada com a Prefeitura de Parintins. “Isso só vem engrandecer o que significa a cultura parintinense, a riqueza que a gente tem aqui. Sem o incentivo do Governo do Estado e a revitalização feita pela Prefeitura  para o Festival Folclórico de Parintins, isso não seria possível. Só temos que agradecer ao governo e a prefeitura por cada vez mais acreditarem na nossa cultura”, afirma Karla Viana.

Para o coordenador dos Bois Mirins, Mario Pinheiro, evento que ocorreu no domingo (24/06), na Praça dos Bois, o incentivo é importante para fortalecer a cultura parintinense. “Eu tenho certeza que se não fosse esse apoio, não haveria essa grandeza que o evento tem. A apresentação dos bois mirins é como se fosse um trampolim para esses brincantes chegarem um dia aos Bois Caprichoso e Garantido. Esse apoio só vem engrandecer a festa e a presença dessas crianças”, afirma Mario Pinheiro.

A riqueza de detalhes das apresentações dois Bois Mirins, evento que existe há 20 anos em Parintins, enche os olhos de quem acompanha. Estão lá a sinhazinha, a cunhã-poranga, o amo do boi, o pajé, a porta-estandarte e a rainha do folclore, por exemplo. Tudo na versão mirim, mas com a grandeza dos artistas parintinenses, que carregam no DNA a veia artística.

“Ficamos muito felizes de descobrir talentos e poder ajudar a realizar os sonhos das crianças de serem, um dia, itens oficiais dos bumbás Garantido e Caprichoso. Sempre procuramos fazer o melhor para ver essas crianças felizes. Elas já têm esse dom artístico nato, na brincadeira dos bois mirins a gente procura apenas aprimorar esses dons”, explica a coordenadora do Boi Mirim Tupi, Sebastiana Duarte.

COMPARTILHAR