Serviço de monitoramento através de câmeras estava parado há cinco anos e foi reativado nesta quinta-feira (09/08)

Resultado do novo sistema de gestão definido pelo Governo do Amazonas para a ponte Jornalista Phelippe Daou, a via, que fica na zona oeste de Manaus e interliga a capital ao município de Iranduba, voltou a ter policiamento, monitorado por câmeras, 24 horas por dia.

O trabalho de gestão integrada, coordenado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Manaus (SRMM), contempla vários órgãos. Na área de segurança, o reforço no policiamento é resultado do trabalho integrado da Polícia Militar do Amazonas (PMAM) e a Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-AM), por meio do Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICC) e da Secretaria Executiva Adjunta de Planejamento e Gestão Integrada de Segurança (Seagi).

Na ponte foi instalada uma Plataforma de Observação Elevada (POE), unidade móvel de videomonitoramento equipada com 25 câmeras, que envia imagens para o CICC e aciona a unidade de policiamento mais próxima ou o Batalhão de Policiamento de Trânsito do Amazonas (BPTRAM).

Após três anos às escuras, O Governo do Amazonas, por meio da SRMM, recuperou o sistema de iluminação cênica da ponte Jornalista Phelippe Daou, retomado em junho de 2018.

Os trabalhos de manutenção e recuperação da iluminação viária e cênica e do Sistema de Proteção Contra Descargas Atmosféricas (SPDA) contemplam toda a extensão da ponte e acessos, com investimento de R$ 4.192.460,33. Além das cores da bandeira do Amazonas, também foram ligadas as luzes de sinalização da via, em LED.

Por meio do Decreto 38.914, do dia 26 de abril de 2018, o Governo do Amazonas instituiu o Sistema de Gestão da Ponte Jornalista Phelippe Daou e dividiu ações do novo sistema. Entre os órgãos envolvidos nesta gestão estão a SRMM; a PMAM, o Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM); a SSP-AM; a Agência Reguladora dos Serviços Públicos Concedidos do Estado do Amazonas (Arsam); a Superintendência Estadual de Navegação Portos e Hidrovias (SNPH); a Secretaria de Estado de Saúde (Susam); a Processamento de Dados Amazonas (Prodam), a Secretaria Executiva Adjunta de Planejamento e Gestão Integrada de Segurança (Seagi), o Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AM) e a Polícia Civil do Estado Amazonas (PCAM).

COMPARTILHAR