FOTOS: DIVULGAÇÃO/AMAZONASTUR

Mapear e catalogar possíveis áreas para desenvolver o turismo indígena, ou o etnoturismo, no Estado é o principal objetivo do Governo do Amazonas, por meio da parceria entre a Empresa Estadual de Turismo (Amazonastur) e a Fundação Estadual do Índio (FEI). O alinhamento desse trabalho ocorreu na tarde desta quarta-feira (03/01), na sede do Órgão de Turismo do Estado, localizada na avenida Santos Dumont, nº 1.350, bairro Tarumã, zona oeste de Manaus. 

Técnicos da Amazonastur e da FEI, durante os meses de fevereiro e março, farão visitas técnicas em terras indígenas para avaliar o potencial turístico dessas regiões. Além das visitas, a Amazonastur prestará apoio, junto aos órgãos ambientais, na regulamentação dessas áreas. 

Para o presidente da Amazonastur, Orsine Junior, o turismo indígena é uma vertente do setor que trará muita visibilidade ao Estado. “Por isso que conto com a FEI para desenvolver o etnoturismo, que é uma vertente turística que dará muita visibilidade ao Amazonas”, disse o titular do Órgão de Turismo.

O presidente da FEI, Amilton Gadelha, aproveitou a oportunidade para expor a proposta de um projeto de criação de um Centro Cultural dos Povos Indígenas. “Temos um diferencial que é pouco explorado e agora, em parceria com a Amazonastur, vamos lutar para desenvolver essa atividade da melhor maneira possível”. 

Outro assunto debatido no encontro entre os Órgãos foi a realização de cursos de capacitação para as comunidades indígenas com potencial turístico. Mas para realizar esses cursos, as entidades têm que concluir o diagnóstico total das áreas que desenvolvem o etnoturismo.

COMPARTILHAR