Foto: JAIR CAMPOS/SUSAM

O Estado do Amazonas passará a contar com 25 novos médicos especialistas nas áreas de Cirurgia Geral, Clínica Médica, Ortopedia, Traumatologia, Anestesiologia e Otorrinolaringologista. A formatura, realizada pela Fundação Hospital Adriano Jorge (FHAJ), acontece nesta sexta-feira (15/2), às 19h, no auditório da Reitoria da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), na avenida Djalma Batista, 3578, Flores.

Os novos especialistas concluíram os três anos de Residência Médica no Hospital Adriano Jorge, unidade da rede estadual de saúde. O vice-governador e secretário Estadual de Saúde, defensor Carlos Almeida, enfatiza a importância de se ter novos médicos especializados no Estado e a importância do trabalho de formação que integra as universidades e as unidades de referência da rede de saúde. “Todos sabemos da carência de especialistas nas diversas áreas médicas, então são todos muito bem vindos, porque a saúde do Amazonas precisa desses profissionais e que eles e elas possam nos ajudar a prestar bons serviços à população”.

Conforme a diretora-presidente da FHAJ, Christianny Sena, o Programa de Residência Médica é uma das ações desenvolvidas pela FHAJ, desde 2005, que contribui com a formação de novos profissionais. “Já contribuímos com a formação de 209 médicos especialistas para o Estado do Amazonas. Trabalhamos para ampliar, qualificar e fortalecer o atendimento em saúde de nossa população”, destaca.

De acordo com o Diretor de Ensino e Pesquisa, Raymison Monteiro, atualmente, a Fundação é um Hospital de Ensino, certificado pelo Ministério da Saúde e Ministério da Educação, com ótimos resultados. Monteiro, inclusive foi quem implantou o Programa de Residência Médica na FHAJ. “Com os 25 formandos de 2018, totalizamos 234 médicos especialistas entregues à sociedade Amazonense. A formação médica de qualidade e humanizada é uma de nossas prioridades”.

Especialidades – Dos 25 especialistas formados na FHAJ, 9 são de Clínica Médica, 8 de Cirurgia Geral, 4 de Ortopedia e Traumatologia, 3 de Anestesia e 1 de Otorrinolaringologia.

“Formar especialistas, nos programas de residência médica, é uma conquista diária. Só possível com a dedicação dos preceptores, e de todos os servidores, desde os setores administrativos aos integrantes do centro cirúrgico. Todos que fazem rodar a engrenagem deste Hospital”, destacou Christianny.

Raymison Monteiro também enfatiza o papel dos preceptores no gerenciamento dos Programas de Residência Médica. “Temos uma equipe de excelentes professores, com responsabilidades imensas, zelando pela qualidade do ensino e acompanhando o desenvolvimento de cada médico especialista”, destacou.

Histórico – A Residência Médica da Fundação Hospital Adriano Jorge (FHAJ), iniciou suas atividades em 1º de fevereiro de 2005, oferecendo então 10 vagas – sendo 5 para o programa em Cirurgia Geral e 5 vagas para o de Clínica Médica.

A Residência Médica foi instituída no Brasil pelo Decreto nº 80.281, de 5 de setembro de 1977. Segundo o Ministério da Educação, conforme a Lei nº 6.932, de 07/07/1981, da Presidência da República, a RM constitui-se em uma modalidade de ensino de pós-graduação (latu sensu), destinada a médicos, sob a forma de curso de especialização, funcionando em Instituições de Saúde, sob a orientação de profissionais médicos de elevada qualificação ética e profissional. A RM é considerada o “padrão ouro” da especialização médica.

COMPARTILHAR