Foto: CDL Manaus

 

 

Com a aproximação das festas de fim de ano, o setor de prestação de serviços começou a contratação de trabalhadores temporários. Segundo estimativa da Secretaria Estadual do Trabalho (Setrab), devem ser criados mais de 2,5 mil empregos temporários em todo Amazonas durante os meses de novembro e dezembro.

As lojas que mais devem abrir vagas são as de vestuário, calçados, eletroeletrônicos e perfumaria. Os restaurantes e supermercados também vão oferecer mais empregos temporários em comparação ao ano passado.

O secretário do Trabalho, Dallas Filho, destaca que neste ano as contrações serão 10% maiores que no Natal de 2016. “Já sentimos um aumento no número de contratações em novembro. A subida deve continuar até o final de dezembro”, prevê o secretário.

A Setrab percebeu o aumento nas contratações devido as empresas procurarem com mais frequência o cadastro do Sine-AM. “Percebemos que donos de lojas estão procurando regularmente o Sine-AM em busca de trabalhadores para contratações temporárias”, explica Dallas Filho.

O aumento de vagas é sinal de uma pequena recuperação na economia local, que pode ser notada pelas contratações de fim de ano. Em 2015 e 2016 houve retração no volume de vagas oferecidas pelo comércio em Manaus. Neste ano, a expectativa é crescer 10% em comparação ao Natal do ano passado.

A Setrab calcula que dos 2,5 mil empregos temporários que devem surgir, cerca de 1 mil vagas serão preenchidas até o final de novembro, e as outras 1,5 mil até o Natal.

Cadastro – A Setrab informa que continua recebendo currículos e cadastrando trabalhadores interessados nas vagas de emprego temporário. Os interessados podem procurar o Sine-AM na avenida Joaquim Nabuco, Centro, munidos de currículo atualizado e Carteira de Trabalho.

Uma equipe técnica da Setrab visita diariamente as empresas de Manaus em busca de vagas que são oferecidas aos trabalhadores por meio do Sine-AM. “Além das empresas que procuram a secretaria para selecionar trabalhadores, temos um setor que percorre diariamente as fábricas e lojas em busca de vagas”, explica Dallas Filho.

COMPARTILHAR