Fotos: Divulgação/Semasc

O embaixador canadense Riccardo Savone esteve no abrigo Alfredo Nascimento, no bairro de mesmo nome, na zona Norte, na manhã desta sexta-feira, 30/11, para estudar uma possível parceria do Canadá com a Prefeitura de Manaus no atendimento aos refugiados. Atualmente, o espaço acolhe 263 venezuelanos indígenas Warao e 84 não-indígenas.

 O secretário municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc), Dante Souza, acompanhou o embaixador, junto com técnicos da secretaria e representantes do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur).

 “Aqui tem mais refugiados do que os serviços podem absorver. Claro que tem muita pressão para que o município resolva todas as situações e podemos perceber que está tentando, mas com a chegada cada vez maior de refugiados, a situação também vai ficando mais tensa. Queremos estudar um pouco mais a questão e então viabilizar uma parceria potencial, onde possamos realmente dar uma contribuição”, afirmou o embaixador.

Atualmente, a Prefeitura de Manaus atua no acolhimento de 596 venezuelanos indígenas Warao e não-indígenas, em três casas de acolhimento. De acordo com estimativas do Acnur, são mais de 15 mil venezuelanos na capital amazonense.

 “Essas visitas são importantes, principalmente dos países que têm representação no Brasil, porque eles podem conhecer um pouco dessa realidade que vive Manaus. Temos tido respostas muito positivas da prefeitura no que trata de acolhimento e agora precisamos encontrar soluções de como atender essa nova leva de venezuelanos que ainda devem vir para cá”, afirmou o representante do Acnur, Sebastian Roa.

 Para o secretário Dante Souza, apesar de toda a atenção que a Prefeitura de Manaus tem dado aos refugiados, as dificuldades permanecem diante do grande número de famílias que continuam chegando. Estima-se que cerca de 120 novos venezuelanos cheguem à cidade todos os dias.

 “Os esforços do prefeito Arthur Virgílio Neto em acolher os venezuelanos têm permitido que a assistência realmente chegue a eles no momento que estão mais vulneráveis. Nós precisamos muito de parcerias e a visita do embaixador canadense veio trazer um alento muito grande. Vislumbramos que essa parceria com o Canadá realmente possa acontecer. Tudo que eles puderem nos ajudar será muito bom”, concluiu Dante Souza.

COMPARTILHAR